Caso Iarla: família diz que réu não foi localizado para julgamento

O julgamento de José Ricardo da Silva Neto está marcado para a próxima quarta-feira (24)

22/11/2021 09:50h - Atualizado em 22/11/2021 09:59h

Compartilhar no

O julgamento de José Ricardo da Silva Neto, acusado de matar a estudante de arquitetura Iarla Lima Barbosa, marcado para a próxima quarta-feira (24), corre o risco de não acontecer. Isso porque, segundo a família de Iarla, até o momento o réu não foi localizado, e, consequentemente, intimado. O júri popular acontece a partir das 8h35 no Plenário do Fórum Criminal de Teresina.

(Fotos: Reprodução/redes sociais)

A família teme que, com a possibilidade do não comparecimento do réu, que o julgamento do ex-tenente não aconteça, adiando, assim, o Júri Popular. Atualmente, José Ricardo da Silva Neto reside em Pernambuco.

Nas redes sociais, familiares e amigos convocam toda a população para participar de um ato em prol de justiça pela morte de Iarla Lima e outras vítimas de feminicídio no Piauí, como Aretha Dantas, Camilla Abreu e Vanessa Carvalho. O movimento está sendo organizado pela As Vozes de Vanessa Carvalho, com apoio de movimentos de mulheres. O ato reivindica celeridade nos julgamentos e processos de casos de violência doméstica e crimes de feminicídio que ainda estão pendentes no Piauí.

Entenda

O ex-tenente do Exército matou a jovem, de apenas 24 anos, a tiros no dia 19 de junho de 2017. O crime de feminicídio aconteceu em Teresina. Na época, o réu era namorado da vítima, e chegou a tentar feminicídio contra a vida da irmã de Iarla, Ilana, e de uma amiga. José Ricardo responde por homicídio triplamente qualificado e poderá receber pena máxima, de 30 anos de prisão. 

Aguarde mais informações. 

Matérias relacionadas:

Tenente do Exército mata a namorada e fere mais duas mulheres

Juiz determina prisão preventiva de tenente acusado de matar namorada

Família de Iarla faz ato contra feminicídio e protesta em frente ao 2º BEC

Tenente demonstrou relação de menosprezo à mulher, diz promotor em denúncia

Ex-tenente conta em detalhes como ocorreu o feminicídio de Iarla Lima

'Ela ia terminar o namoro no dia em que foi morta', afirma irmã de Iarla

STJ nega habeas corpus e mantém preso ex-tenente acusado de feminicídio

Ex-tenente do Exército que confessou matar Iarla Lima é solto pela Justiça

Acusado de matar Iarla Lima será transferido para presídio comum

TJ determina prisão preventiva de ex-tenente acusado de matar Iarla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário