• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Ex-tenente do Exército que confessou matar Iarla Lima é solto pela Justiça

O juiz Antônio Nollêto concedeu à liberdade provisória ao ex-tenente José Ricardo da Silva Neto e autorizou que o réu volte para a cidade de Recife, em Pernambuco.

05/02/2018 15:44h - Atualizado em 05/02/2018 16:20h

O ex-tenente do Exército Brasileiro, José Ricardo da Silva Neto, que confessou ter assassinado a namorada Iarla Barbosa Lima, em junho de 2017, teve a prisão preventiva revogada nesta segunda-feira (5) e será posto em liberdade provisória. A decisão é do juiz de direito da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Antônio Reis de Jesus Nollêto.

Além da revogação da prisão preventiva, o magistrado decidiu levar o caso à Júri Popular e o ex-tenente deverá ser julgado por homicídio consumado e por dupla tentativa de homicídio, por motivo fútil, sem possibilidade de defesa das vítimas e pela condição das vítimas pertencerem ao sexo feminino (feminicídio). A previsão é de que o julgamento seja realizado ainda no primeiro semestre de 2018.

Para a concessão da liberdade provisória, o juiz levou em consideração o fato do acusado não possuir maus antecedentes e não ser reincidente, o que não caracterizaria ameaça à ordem pública. Por ser réu primário e estar preso há mais de sete meses, além de apresentar bom comportamento e ter comparecido a todos os autos processuais, o acusado, mesmo tendo confessado ter assassinado a namorada, deverá ser posto em liberdade. 

Iarla Lima Barbosa e José Ricardo da Silva Neto. (Foto: Reprodução)

Em liberdade provisória, o acusado deverá obedecer às seguintes medidas cautelares: não poderá se ausentar de Recife, no estado de Pernambuco, município onde reside com os familiares; deverá comparecer a todos os autos do processo para os quais for intimado; deverá comparecer mensalmente perante o juízo da Comarca de Recife-PE, para informar e justificar suas atividades; deverá obedecer o recolhimento domiciliar noturno, a partir das 20h; não poderá se envolver em nenhum outro delito; não poderá frequentar casas de eventos.

Entenda o caso

José Ricardo da Silva Neto foi preso em flagrante no dia 19 de junho de 2017 e teve a prisão convertida em preventiva no dia seguinte, pelo assassinato da estudante Iarla Lima e por disparar vários tiros contra a irmã de Iarla, Ilana Lima Barbosa, e a amiga, Joseane Mesquita da Silva.

Durante a audiência de instrução e julgamento do caso, no dia 22 de novembro de 2017, o ex-tenente do Exército Brasileiro confessou ter matado a namorada e contou em detalhes como ocorreu o feminicídio de Iarla Lima. No seu relato, o acusado confessou ser o autor do disparo que matou a estudante, mas negou ter apontado a arma, um revólver calibre 38, e disparado Ilana Lima e Joseane Mesquita.

Em seu depoimento, José Ricardo da Silva Neto alegou que a estudante teria segurado a arma e só então os disparos teriam sido efetuados. Quando questionado pelo juiz Antônio Nolleto sobre o que teria motivado a discussão e se o motivo teria sido ciúmes, Silva Neto disse não se lembrar. Durante a audiência, a defesa do acusado tentou ressaltar o bom comportamento do ex-militar através de depoimentos de amigos e oficiais do Exército que não haviam presenciado o crime.

Confira cobertura do ODIA sobre o caso:

Ex-tenente conta em detalhes como ocorreu o feminicídio de Iarla Lima 

STJ nega habeas corpus e mantém preso ex-tenente acusado de feminicídio 

'Ela ia terminar o namoro no dia em que foi morta', afirma irmã de Iarla 

Família de Iarla faz ato contra feminicídio e protesta em frente ao 2º BEC 

Acusado de matar Iarla Lima será transferido para presídio comum 

Tenente demonstrou relação de menosprezo à mulher, diz promotor em denúncia 

Amigos e familiares de jovem morta por militar fazem caminhada por justiça 

Juiz determina prisão preventiva de tenente acusado de matar namorada 

Irmã de jovem morta por tenente ainda não sabe sobre o assassinato 

Tenente do Exército mata a namorada e fere mais duas mulheres 

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário