• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Cheia dos rios: Barras já tem 20 famílias e cerca de 100 pessoas desalojadas

Batalha, Cabeceiras, Esperantina e Piripiri também possuem desabrigados. José de Freitas e Lagoa Alegre têm comunidades isoladas. Ilha Grande e Parnaíba podem entrar em alerta também.

11/03/2020 11:38h - Atualizado em 11/03/2020 12:04h

cheia dos rios Longá e Marataoan, na região Norte do Piauí, já começa a deixar estragos. A Defesa Civil Estadual já contabiliza pelo menos 20 famílias e cerca de 100 pessoas desabrigadas na cidade de Barras. Há também o registro de desalojados em Batalha, Esperantina e Cabeceiras. Em Piripiri, onde a situação é um pouco mais crítica, já são pelo menos 400 pessoas desabrigadas. José de Freitas e Lagoa Alegre também possuem comunidades isoladas por conta do rompimento de estradas.


Leia também: 

Cerca de 400 famílias já foram atingidas pela chuva em Piripiri 

THE: 17 famílias são monitoradas por causa da chuva neste mês de março 


Além das cidades que já estão sofrendo com as inundações, mais três municípios piauienses encontram-se em situação de alto risco, conforma o alerta emitido pelo Cemaden ao Governo do Estado na noite de ontem (10). São elas as cidades de São José do Divino, Caxingó e Buriti dos Lopes. De acordo com o secretário estadual de Defesa Civil, Geraldo Magela, o Rio Parnaíba e seus afluentes que cortam a região devem transbordar ainda hoje, causando alagamentos nestas localidades.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Na região de Luzilândia, o Rio Parnaíba já atingiu sua cota de alerta tendo chegado a 5,11 metros ainda na noite de ontem. Como a previsão é de mais chuva para aquela área, o que deve manter o nível do Velho Monge em ascendência, a provável que as cidades de Ilha Grande e Parnaíba também entrem na lista de cidades com risco de inundação e alagamentos provocado pelas cheias.

A Defesa Civil faz um alerta às populações em áreas de risco: “É interessante que a própria população acompanhe as informações divulgadas dos níveis dos rios que estão subindo, se antecipem ao problema e saiam antes das águas chegarem. Porque os alertas estão sendo emitidos. As águas chegaram a esses municípios e nós antecipadamente alertamos para a situação da mesma forma que agora já estamos emitindo alerta para os municípios de Buriti dos Lopes, Caxingó e São José de Divino”, explica o secretário estadual de Defesa Civil.


Geraldo Magela, secretário estadual de Defesa Civil - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Mortes

As fortes chuvas que têm caído nos últimos dias têm causado não apenas prejuízos materiais aos moradores das cidades afetadas e às comunidades ribeirinhas. A Defesa Civil estadual já contabiliza pelo menos quatro mortes relacionadas às cheias, inundações e enxurradas. O primeiro caso foi de um homem que morreu afogado ao mergulhar em um riacho no município de Morro do Chapéu. 

Há também uma mulher que veio a óbito após ter seu carro levado pela enxurrada em Piripiri. Ontem (10), um ciclista que saía de São João da Serra para Santa Cruz dos Milagres também morreu afogado após ter sido levado pela correnteza ao passar por um trecho com água. E na cidade de Nossa Senhora de Nazaré, uma criança de cinco anos morreu após ser atingida por um raio.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário