• Jovens escritores 2018
  • Patrimônio 30/04
  • banner marcas
  • Marcas Inesquecíveis 2018 26/03

W. Dias promete casa e ajuda financeira para família de Emilly Caetano

Governador prometeu uma casa, um auxílio financeiro e tratamento no Ceir para o pai de Emilly, que teve a audição de um dos ouvidos prejudicada, por conta do tiro que levou na cabeça.

08/01/2018 13:53h - Atualizado em 08/01/2018 15:48h

O governador Wellington Dias (PT) recebeu no Palácio de Karnak, na manhã desta segunda-feira (8), os pais da menina Emilly Caetano Costa, morta aos 9 anos durante uma abordagem policial mal-sucedida, por volta da meia-noite do dia 25 de dezembro de 2017.

Participaram do encontro com Wellington os pais de Emilly, Evandro Costa e Daiane Félix Caetano, além do avô da menina, que é pai de Daiane.

Daiane Caetano foi ao Palácio de Karnak com o marido, o pai e o advogado da família; além do governador, três secretários participaram da reunião (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

No encontro, que iniciou às 11 horas e se estendeu até por volta do meio-dia, o chefe do Executivo afirmou que o estado vai garantir toda a assistência de que a família necessita. 

Evandro Costa, que foi atingido por um tiro na cabeça e teve a audição de um dos ouvidos comprometida, receberá tratamento no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir).

Além disso, Wellington afirmou que o Governo vai doar uma casa para a família, por meio da Agência de Desenvolvimento Habitacional do Piauí (ADH), e ainda vai oferecer uma ajuda financeira.

Segundo o advogado da família, Thales Cruz, o valor e o período de recebimento do auxílio pecuniário não foi definido na reunião desta manhã, o que ocorrerá a partir de uma análise da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc).

Além do advogado, também acompanhara a reunião três secretários estaduais: Rejane Dias, da Secretaria de Educação e Cultura (Seduc), José Santana, da Sasc, e Daniel Oliveira, da Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus).

Família vai pedir indenização na Justiça

Mesmo com as garantias dadas pelo governador, o advogado Thales Cruz afirma que a família ainda ajuizará uma ação judicial para pedir o pagamento de uma indenização ao estado do Piauí. 

"Na reunião de hoje o governador disse que o estado do Piauí está á disposição da família. Os pais ficaram bastante satisfeitos com a recepção feita pelo governador, pela esposa dele e pelos demais secretários que estavam presentes. Foi interessante para a família, que já vinha esperando por isso desde que ocorreu a tragédia [...] Mas o próprio governador reconheceu que a família deve recorrer á Justiça para conseguir uma indenização do estado, porque a legislação não permite que ele possa dispor do dinheiro público para oferecer essa indenização", relatou Thales Cruz ao portal O DIA.

Ainda de acordo com o advogado, Wellington admitiu que o estado do Piauí é o responsável pela morte de Emilly Caetano, uma vez que a menina foi assassinada por agentes públicos em serviço. Ademais, o governador assegurou à família que vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que os policiais envolvidos na abordagem sejam punidos.


Notícias relacionadas:

Comando da PM suspende portaria que trata sobre investigações de policiais 

PGE faz pente fino para analisar liminares de militares dos últimos 10 anos 

Homicídios conclui inquérito sobre morte de Emilly e envia para o Judiciário 

Governador se reúne com cúpula de segurança para discutir caso Emilly 

Caso Emilly: quatro vídeos revelam detalhes de abordagem equivocada de PMs 

Mãe de Emilly pede revogação de Portaria da PM que impede investigação 

Caso Emilly: família pede ajuda; pai não tem previsão para voltar ao trabalho 

Pai de menina baleada pela PM perde a audição do ouvido esquerdo 

Dias quer rigor na análise de ações contra exames psicológicos de certames 

OAB diz que abordagem policial que resultou em morte de menina foi 'desastrosa' 

"Morreu com fome", diz mãe de menina morta por policiais militares 

PMs são presos após matarem criança de 9 anos em abordagem equivocada 


Por: Cícero Portela

Deixe seu comentário






Enquete

Como você avalia as manifestações dos caminhoneiros?

ver resultado