• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Todo parto tem quer ser humanizado, afirma enfermeira

A enfermeira obstétrica Elaine Barbosa, conta que trabalho de parto é um dos principais indícios que a criança está pronta par nascer.

28/09/2019 15:32h

De acordo com a enfermeira obstétrica Elaine Barbosa, os benefícios do parto normal para a mãe e para o bebê são inúmeros, sendo que o próprio trabalho de parto é um dos principais indícios que a criança está pronta par nascer. 

“Nesse processo, a mãe produz hormônios que favorece a saúde dos dois, a oxitocina protege o recém-nascido de danos cerebrais, e ajuda no amadurecimento desse órgão, fortalece o vínculo entre mãe e filho e, junto com a prolactina, favorece a amamentação, além de prevenir hemorragia materna”, destaca.

Leia também: 

Projeto de lei quer garantir o direito da gestante optar pelo parto cesáreo 

CRM-PI vê com preocupação PL que dispõe gestante optar por parto cesariano 

"PL fere os direitos sociais de proteção à maternidade e à infância" 

Parto cesariano é indicado quando à risco vida da mãe e do bebê 

Elaine Barbosa ainda acrescenta como benefícios deste tipo de parto a recuperação mais rápida da mãe e a redução do risco de depressão pós-parto e de infecção puerperal. “Além disso, a compressão torácica que o feto sofre ao percorrer o canal do parto libera o líquido dos pulmões do bebêdiminuindo o risco de desconforto respiratório ao nascer; e as bactérias presentes no trato vaginal também conferem resistência imunológica ao bebê”, conclui.

A enfermeira obstétrica diz que já é direito da mãe escolher o tipo de parto que quer ter, mas ela deve ter escolhas justas e situações que não coloquem sua saúde em risco. “A informação e a assistência qualificada e humanizada são subsídios crucias nas tomadas de decisão da mãe e da família. É importante que a sociedade e o poder público favoreçam o debate a respeito desse tema e propicie o protagonismo feminino nesse evento que entrelaça as dimensões biopsicosociocultural da família”, ressalta.


É direito da mãe escolher o tipo de parto que quer ter, mas ela deve ter escolhas justas e situações que não coloquem sua saúde em risco. Reprodução

Além disso, ter um parto humanizado é ter o direito de ter um acompanhante, ser assistida enquanto está em trabalho de parto, ter conforto, informação e segurança. Por esse fato é que a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem incentivando o parto normal e humanizado, pois os benéficos sobressaem aos medos e receios da mulher.

“O parto humanizado é o que todo parto deveria ser, é onde o profissional ver essa mulher como um ser ativo, dona do seu próprio corpo, com o seu protagonismoproporcionam que, em todo processo de nascimento, ela tenha o poder da decisão e de se colocar. É necessária uma assistência individualizada, onde você conversa com a mulher sobre os procedimentos que serão realizados e decide junto com ela a melhor forma de realizá-los, acompanha o bebê, tem o mínimo de interferência possível de tecnologias que não devem ser usadas, permite que esse parto seja o mais agradável, isso não quer dizer que parto humanizado é música e consola a mulher”, explica Elaine Barbosa

Edição: Virgiane Passos
Por: Sandy Swamy - Jornal O Dia

Deixe seu comentário