• click
  • Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Timon

09 de outubro de 2017

Timon City passa a aceitar cartão de crédito e vai parcelar valor da passagem

A novidade foi divulgada pelo proprietário da empresa, Ramon Alves, e começa a valer a partir do dia 12 de outubro

A empresa de ônibus ‘Timon City’ resolveu inovar no seu atendimento. A partir da próxima quinta-feira (12), os passageiros poderão pagar suas passagens por meio de cartões de crédito ou débito. A novidade foi divulgada pelo proprietário da empresa, Ramon Alves. Os ônibus da Timon City irão aceitar todas as bandeiras nacionais de cartões.

As condições de pagamento no crédito e débito também vale para os estudantes. Eles poderão comprar os vales estudantis nos postos de vendas Timon City, no Terminal Rodoviário de Timon e em outros pontos da cidade.

O estudante Breno Cavalcante, comenta que a aceitação dos cartões no transporte público é um avanço para a cidade. “É bem mais prático poder pagar com um cartão de crédito ou débito. Até evita que o passageiro ande com dinheiro em espécie, um perigo a menos de ser assaltado”, disse. 

Segundo Ramon, os motoristas e cobradores estão sendo treinados para trabalhar com a maquineta de cartões. “A mudança começa a partir do dia 12, mas por ser feriado, garantimos o funcionamento em todos os ônibus no dia 13. Os funcionários estão em treinamento para melhor atender nossos passageiros”, afirma.

De acordo com o empresário, o transporte público é um comércio como qualquer outro, e os clientes merecem boas opções de atendimento. “Ao invés de pagar antes, o cliente pode pagar depois. E ainda poderá parcelar se quiser. Além das bandeiras nacionais, estamos nos organizando para trabalharmos também com o Credshop. ”, disse Ramon.

A passagem na Timon City custa R$ 3,00 e R$ 1,37 para estudante.

19 de julho de 2017

Delegado diz que a mulher que abandonou bebê pode ter depressão

Em depoimento a mulher disse que nem chegou a fazer pré-natal, pois não queria ter o bebê

Na manhã da última terça (18), foi encontrado o corpo de um bebê em um aterro sanitário , na entrada da cidade de Timon (MA).  Em investigações realizadas pela Polícia Militar, a mãe da criança foi encontrada e interrogada. A mulher que tem 20 anos, é mãe de três filhos, e não teve o nome divulgado. 

O Delegado Regional de Timon, Humaitan Oliveira, que está à frente das investigações, comenta que a mulher negou estar grávida, porém, os vizinhos desmentiram a versão. “ Constatamos o crime de homicídio, e no local, nos levaram ao endereço da possível mãe da criança. Na casa havia várias receitas médicas, mas ela negava ter engravidado, porém os vizinhos diziam ao contrário, depois ela acabou confessando”, afirmou. 

De acordo com o depoimento prestado a polícia, a mulher teve o bebê dentro do banheiro de casa, e enrolou a criança em uma toalha e deixou no canto, e ontem teria jogado no lixo. “Ela disse que não estava preparada. Não fez o pré-natal, já na intenção de não ter a criança.  Ela já é mãe de três filhos”, disse o delegado.

Com os laudos do IML não ser verificou nenhum tipo de trauma na criança. Humaitan disse ainda que a mulher passará por uma perícia psicológica para saber se ela teve ou não depressão pós-parto. Se o resultado for positivo, responderá por infanticídio e ocultação (estado coerperal, depressão pós-parto). Se não, ela responderá por homicídio doloso.


Delegado diz que a mulher que abandonou bebê pode ter depressão

Em depoimento a mulher disse que nem chegou a fazer pré-natal, pois não queria ter o bebê

Na manhã da última terça (18), foi encontrado o corpo de um bebê em um aterro sanitário , na entrada da cidade de Timon (MA).  Em investigações realizadas pela Polícia Militar, a mãe da criança foi encontrada e interrogada. A mulher que tem 20 anos, é mãe de três filhos, e não teve o nome divulgado. 

O Delegado Regional de Timon, Humaitan Oliveira, que está à frente das investigações, comenta que a mulher negou estar grávida, porém, os vizinhos desmentiram a versão. “ Constatamos o crime de homicídio, e no local, nos levaram ao endereço da possível mãe da criança. Na casa havia várias receitas médicas, mas ela negava ter engravidado, porém os vizinhos diziam ao contrário, depois ela acabou confessando”, afirmou. 

De acordo com o depoimento prestado a polícia, a mulher teve o bebê dentro do banheiro de casa, e enrolou a criança em uma toalha e deixou no canto, e ontem teria jogado no lixo. “Ela disse que não estava preparada. Não fez o pré-natal, já na intenção de não ter a criança.  Ela já é mãe de três filhos”, disse o delegado.

Com os laudos do IML não ser verificou nenhum tipo de trauma na criança. Humaitan disse ainda que a mulher passará por uma perícia psicológica para saber se ela teve ou não depressão pós-parto. Se o resultado for positivo, responderá por infanticídio e ocultação (estado coerperal, depressão pós-parto). Se não, ela responderá por homicídio doloso.


13 de julho de 2016

Presidente do TJ-PI afirma que funcionária estava à disposição do TJ-MA

O Portal O DIA esclarece que não é sua política replicar matéria de portais locais e menos ainda fazer isso sem ouvir o outro lado

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) desembargador Erivan Lopes, respondeu às denúncias reproduzidas pelo blogueiro de Timon, Lucas Stefano, no Portal ODIA, a respeito da servidora Mônica Lopes de Carvalho e Silva, filha do desembargador, que constava nos sites da transparências do TJ-PI e do TJ-MA em um período de quase 2 anos.

O desembargador afirmou que Mônica foi aprovada em concurso realizado pelo TJ-PI e estava a serviço do tribunal no TJ-MA. O presidente explica que a prática é comum entre órgãos públicos, que cedem funcionários a outros órgãos e, por serem efetivos, mantém o salário no emprego de origem (termos de cessão abaixo).

“Minha filha é concursada do TJ-PI, ela é efetiva porque passou em concurso que não foi realizado por mim, ela é efetiva. Foi colocada à disposição do tribunal do Maranhão, isso é comum. Nós temos funcionários daqui à disposição da Assembleia, à disposição de prefeituras, de outros tribunais. Ela foi, atendendo ao pedido do tribunal do Maranhão colocada à disposição do tribunal do Maranhão. Lá no Maranhão ela foi nomeada para exercer um cargo em comissão, ela recebe o salário de servidora efetiva no Tribunal do Piauí e recebia lá pelo exercício de cargo no Maranhão”, afirmou o desembargador por telefone.

Erivan afirmou ainda que sua filha não acumula cargo público e que a situação dela é “legal, constitucional, e moral”. O desembargador afirmou ainda não houve nenhum ato seu na disposição da funcionária para o TJ-MA. “Os atos são legais,  mais ainda que não fossem, não participei da edição de nenhum deles nem deles me beneficiei, de forma que a menção ao meu nome na chamada da matéria, principalmente, é com fim deliberado de vender mais (acessos), em desprezo da minha honra. É a baixaria da política maranhense!”, afirmou.

Ao finalizar, Erivan afirma que o ato do tribunal ceder servidores é amparado no Art. nº 37, inciso II da Constituição Federal.

O Portal O DIA esclarece que não é sua política replicar matéria de portais locais e menos ainda fazer isso sem ouvir o outro lado. O blogueiro agiu de forma contrária à linha editorial e deverá ser responsabilizado pelo ato. 

Após tomar conhecimento do fato, o Portal ODIA excluiu a matéria original e o direito de resposta foi publicado imediatamente.

12 de julho de 2016

Rafael Leitoa apresenta resumo do semestre como presidente da CCJ

Em seu pronunciamento na manhã desta terça-feira (12), o deputado pedetista fez um resumo das ações da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa no primeiro semestre de 2016.

Rafael Leitoa faz balanço positivo dos seis meses como presidente da CCJ (Foto: Nonato Castro)

O deputado Rafael Leitoa (PDT), em seu pronunciamento na manhã desta terça-feira (12), fez um resumo das ações da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa no primeiro semestre de 2016.

Presidente da CCJ, Rafael Leitoa destacou, dois Projetos de Lei de sua autoria, enviados à Comissão. O primeiro, que dispõe sobre a inclusão do protetor solar e repelente de insetos na cesta básica no âmbito do Maranhão e o segundo, que reconhece como manifestação cultural a música gospel e as manifestações a ela relacionadas, fazendo assim que estas atividades sejam, doravante, beneficiadas com a Lei de Incentivo à Cultura.

No resumo, Rafael Leitoa lembrou também que a CCJ realizou no primeiro semestre deste ano, 50 reuniões, sendo 25 ordinárias, 25 extraordinárias, com 214 pareceres escritos e mais 24 pareceres verbais. Ainda em seu pronunciamento, o deputado comentou sobre duas importantes medidas provisórias recebidas pela Comissão, uma que trata da dispensa de juros e multas em relação ao IPVA e a outra que institui a premiação em dinheiro aos policiais civis e militares da ativa no estado do Maranhão pela apreensão de armas de fogo.

“Espero que ao retornarmos às atividades no dia 2 de agosto na CCJ, que possamos continuar desenvolvendo o nosso trabalho. Espero ter atendido a reivindicação de todos os colegas. Quero aqui de antemão me desculpar por algum projeto que não tenha tido a celeridade possível, mas nos esforçamos e trabalhamos para que todos os projetos sejam aprovados e sejam apreciados naquela comissão”, concluiu Rafael Leitoa.

BOMBA: Filha de Erivan Lopes recebia no TJ-PI e no TJ-MA

Mônica Lopes de Carvalho e Silva, é filha do atual presidente do TJ-PI, desembargador Erivan Lopes, e cunhada do Deputado Alexandre Almeida

Portal da Transparência dos tribunais revela pagamentos feitos para filha do presidente do TJ-PI

Deputado estadual Alexandre Almeida (PSD-MA), ao lado do desembargador Erivan Lopes (TJ-PI) e sua filha Mônica Lopes Foto: Tribuna do Maranhão

Autor: Manoel José

TERESINA - Durante quase dois anos a funcionária do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), Mônica Lopes de Carvalho e Silva, que é filha do atual presidente do TJ-PI, desembargador Erivan Lopes, figurou nas folhas de pagamento de dois tribunais de justiça, o do Piauí (TJ-PI) e do Maranhão (TJ-MA).

A informação foi constatada pelo Capital Teresina após denúncia do ex-vereador de Matões, Hosaías Desidério, e analisada pela reportagem junto aos portais da transparência dos dois órgãos. De fato, constatou-se o mesmo nome nas duas folhas de pagamento. O ato aparenta estar em desrespeito a Constituição Federal, que abomina a acumulação de cargos públicos.

Foto: Reprodução/Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Piauí

Foto: Reprodução/Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Piauí

Na busca, constatou-se que Mônica já ocupava um cargo no gabinete da presidência do TJ-PI, desempenhando a função de analista judiciário – escrivão judicial, o que lhe rendia no fim do mês um salário líquido de R$ 1.239,00. A primeira vez em que encontrou-se o nome de Mônica nos registros da transparência do TJ-MA foi no mês de abril de 2013, onde já iniciou recebendo um salário líquido de R$ 8.441,17. Os vencimentos da advogada se mantiveram neste patamar até a sua saída do TJ-MA, no mês de março de 2015.

Foto: Reprodução/Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Maranhão

Foto: Reprodução/Portal da Transparência do Tribunal de Justiça do Maranhão

Por ironia do destino, o cargo ocupado pela filha de Erivan Lopes no TJ-MA era no gabinete do diretor da secretaria da Corregedoria Geral de Justiça (CGJ), órgão disponível no tribunal para investigar e punir práticas irregulares dentro do órgão.

A lei brasileira de nº 37, inciso XVI, afirma que é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos exceto quando houver compatibilidade de horários nos cargos de professor, médico ou técnico científico, mas nada sobre analista jurídico, como descrito na função de Mônica no TJ-MA.

Outro lado

Durante a tarde dessa segunda-feira (11) a reportagem entrou em contato com as assessorias de imprensa dos dois Tribunais de Justiça para ter explicações sobre o fato, porém até o fechamento desta matéria na manhã de hoje (12) não obtivemos resposta. O espaço está aberto para explicações dos dois tribunais.

MATÉRIA DE ORIGEM => http://capitalteresina.com.br/noticias/politica/filha-de-erivan-lopes-recebia-no-tj-pi-e-no-tj-ma-43089.html

PUBLICIDADE: