• Patrimônio 09/17
  • Unimed
  • assinatura jornal

Notícias Oeiras

22 de setembro de 2017

Manejo de transtornos mentais é tema de capacitação em Oeiras

Manejo de transtornos mentais é tema de capacitação para profissionais de Saúde em Oeiras

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou na manhã desta quarta-feira, 20, uma qualificação para profissionais da Atenção Básica sobre manejo de transtornos mentais. O evento foi realizado no auditório da Casa da Merenda e integra a programação do Setembro Amarelo, campanha que alerta sobre a importância de ações preventivas ao suicídio.

A capacitação foi mediada pelo médico psiquiatra, Vicente Gomes, que desde março compõe o quadro de profissionais do CAPS de Oeiras. “Este é um momento importante para discutirmos com os profissionais da Atenção Básica um melhor manejo, quando em contato com pacientes com transtorno mental. Fizemos algumas orientações, discutimos e abordamos a condução desses casos de forma mais adequada”, comenta o psiquiatra Vicente Gomes.

Este ano, além da qualificação para profissionais da Atenção Básica sobre manejo de transtornos mentais, a programação do Setembro Amarelo em Oeiras envolve atividades de prevenção e sensibilização incluem blitz nas ruas com panfletagem e adesivagem de carros; rodas de conversa em escolas da rede pública – municipal e estadual – e rede privada; rodas de conversa nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da zona urbana e rural e qualificação para membros do Grupo de Apoio Permanente e Intersetorial de Prevenção e Enfrentamento ao Suicídio.

Caravana Dança Mais Piauí chega a Oeiras nos dias 26 e 27 de setembro

Caravana Dança Mais Piauí chega a Oeiras nos dias 26 e 27 de setembro

Oeiras recebe pela primeira vez a Caravana Dança + Piauí com a bailarina e coreógrafa Luzia Amélia. Dentro da caravana vão acontecer uma oficina de dança e dois espetáculos – A LUZIA e BAIXA DA ÉGUA. As apresentações acontecem no Cine Teatro Oeiras, nos dias 26 e 27 de setembro, às 20h, com entrada franca. Classificação indicativa: 18 anos.

A oficina de dança é direcionada a pessoas maiores de 14 anos e acontece no dia 27, no turno da manhã. Inscrições na Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

A LUZIA

Luzia era uma mulher baixa, de apenas 1,50 metro de altura. Não sabia plantar um pé de alface sequer e vivia do que a natureza agreste da região lhe oferecia. Na maioria das vezes se contentava com os frutos das árvores baixas e retorcidas, uns coquinhos de palmeira, tubérculos e folhagens. Em ocasiões especiais, dividia com seus companheiros um pedaço de carne de algum animal que conseguiam caçar. Eram tempos difíceis aqueles e Luzia morreu jovem. Foi provavelmente vítima de um acidente, ou do ataque de um animal.

O corpo ficou jogado numa caverna, enquanto o grupo seguia em sua marcha errante pelo cerrado mineiro. Durante 11.500 anos, Luzia permaneceu num buraco, coberta por quase 13 metros de detritos minerais. Agora, passados mais de 100 séculos, a mais antiga brasileira está emergindo das profundezas de um sítio arqueológico para a notoriedade do mundo científico.

Desenterrado em 1975, o crânio de Luzia é o mais antigo fóssil humano já encontrado nas Américas. Transportado de Minas Gerais para o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, permaneceu anos esquecido entre caixas e refugos do acervo da instituição. Foi ali que o arqueólogo Walter Neves, da Universidade de São Paulo, USP, o encontrou alguns anos atrás. Ao estudá-lo, fez descobertas surpreendentes: os traços anatômicos de Luzia nada tinham em comum com o de nenhum outro habitante conhecido do continente americano, a medição dos ossos revelou um queixo proeminente, crânio estreito e longo e faces estreitas e curtas. De onde teria vindo Luzia?

Seria ela remanescente de um povo extinto, que ocupou a América há milhares e milhares de anos e acabou dizimado em guerras ou catástrofes naturais? A hipótese de Walter Neves acaba de ser reforçada por um trabalho feito na Universidade de Manchester, na Inglaterra. Com a ajuda de alguns dos mais avançados recursos tecnológicos, os cientistas ingleses reconstituíram pela primeira vez a fisionomia de Luzia.

O resultado é uma mulher com feições nitidamente negróides, de nariz largo, olhos arredondados, queixo e lábios salientes. São características que a fazem muito mais parecida com os habitantes de algumas regiões da África e da Oceania do que com os atuais índios brasileiros.

BAIXA DA ÉGUA

Segundo o dicionário informal: Baixa da Égua é um local distante, geograficamente desconhecido, para onde não se deseja ir e para onde outra pessoa que lhe atormenta deve ser mandada.

Na cidade de Teresina, existe um lugar conhecido como Baixa da Égua. Segundo o relato de moradores antigos antes era um espaço de movimentos de compra, venda e trocas de alimentos que eram conduzidos nos lombos de éguas. Eram éguas que transportavam de tudo, carnes, grãos, tecidos, restos, mantimentos, ao tempo que carregavam coisas tangíveis, carregavam igualmente coisas intangíveis como histórias, acontecimentos, cimentavam costumes, jeitos, improvisos... Aconteceu que durante uma chuva bem forte, muitas águas escorreram e arrastaram uma égua que estava prestes a parir, a égua caiu dentro de um buraco e por lá mesmo ficou, sofreu... Estrebuchou... Até morrer... Apodreceu... Inchou... Explodiu! O lugar que antes era anônimo se transformou em Baixa da Égua.

Foi partindo do lugar geográfico chamado por esse nome em Teresina, que encontramos questões mais amplas para a dança contemporânea que insistimos em fazer, como as questões de continuidade e descontinuidades que aparecem nas rupturas de paradigmas instaurados no mundo, na dança e no corpo. Em Baixa da Égua entram na cena corpos grotescos, corpos éguas, carregadoras, corpos que constroem dinâmicas singulares: como insistentes galopes, batidas, rolamentos, dobras, exaustão, suspiros, suspensões, coerentes com a proposição investigada. Corpos que andam e dançam de quatro, corpos não rítmicos que se entrelaçam como acontecimentos engendradores de cultura e singularidades de relações corpo/espaço criando estratégias de conhecimento do passado não apenas dos lugares, mas de corpos.

Ficha Técnica:

Concepção, direção e coreografia: Luzia Amélia

Interpretes: Drika Monteiro e Luzia Amélia

SERVIÇO:

DATA: 26 e 27/setembro

LOCAL: Cine Teatro de Oeiras

HORÁRIO: 20:00 H

CLASSIFICAÇÃO: 18 ANOS

Câmara realizará audiência para debater municipalização do trânsito

Câmara realizará audiência pública para debater municipalização do trânsito em Oeiras

A municipalização do trânsito em Oeiras será tema de uma audiência pública promovida pela Câmara Municipal no próximo dia 06 de outubro. O debate vai expor as vantagens da integração do município ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT) para avançar na melhoria da segurança e reduzir números de acidentes.

O vereador Letiano Vieira explica que o projeto de lei, proposto pelo prefeito José Raimundo, já tramitou pela Comissão de Fiscalização e na próxima semana será encaminhado para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “Sendo aprovado na CCJ, o projeto entra em votação no plenário. Creio que não terá nenhuma dificuldade de ser aprovado”, acredita o vereador.

“É uma ação que tem que ser feita, não pode mais ser adiada. Com a municipalização, o agente de trânsito estará mais próximo da população. Conversando com o prefeito, ele me dizia que num período de seis meses ou até mais, a Gerência fará a questão educativa do trânsito, com o objetivo de fazer a prevenção efetiva dos acidentes de trânsito na cidade de Oeiras”, comenta Letiano Vieira.

A municipalização do Trânsito envolve a estruturação administrativa, a preparação técnica e a adequação legal do município às normas do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e ao disposto no Código de Trânsito Brasileiro. O processo visa dar condições seguras ao cidadão de transitar e inclui obras de engenharia, ordenação do fluxo de veículos e pedestres, regulamentação de estacionamentos e programas de educação.

14 de setembro de 2017

Projeto ‘Arte da Palavra’ aproxima estudantes da literatura em Oeiras

Projeto ‘Arte da Palavra’ aproxima estudantes da literatura em Oeiras

Pela 3ª vez, Oeiras foi contemplada com o projeto Arte da Palavra, do Serviço Social do Comércio (Sesc). O projeto, que acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, está sendo desenvolvido com acadêmicos do curso de Letras/Português da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

Vaneza Sousa, coordenadora do Sesc, explica que o objetivo do Arte da Palavra é divulgar a literatura, incentivar a leitura e aproximar a população da obra literária. “Oeiras está dentro do Circuito de Criação Literária, composto por oficinas literárias de diferentes temáticas. Aqueles que já escrevem, vão ampliar seus conhecimentos na escrita. E para os iniciantes, que desconhecem algumas técnicas, a oficina ajuda a aprimorar”, argumenta a coordenadora.

A oficina, que está sendo ministrada pela jornalista e escritora Débora Ferraz, também tem o propósito de exercitar a prática da escrita literária nas suas diferentes manifestações e criar leitores com maior bagagem literária. “Cada vez que eu passo com uma oficina na Arte da Palavra, sempre tenho uma intenção, mas acaba que fica um pouco diferente...A ideia é passar um pouco das técnicas que utilizo para escrever, para que as pessoas consigam desenvolver seus textos ou pontos de vista e conheçam outras abordagens e outra forma de olhar a produção textual”, pontua a escritora.

Iniciado nesta segunda-feira, 11, o projeto acontece até sexta-feira, dia 15, na sala de multimídia da Uespi. “Ao logo da semana vamos trabalhar alguma coisa sobre construção de personagem, construção da cena, as duas histórias implícitas no conto”, comenta a escritora, que já viajou para outras cidades com o projeto.

Débora Ferraz

A pernambucana Débora Ferraz é formada em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e escreve desde 2003. Natural de Serra Talhada, no sertão paraibano, ela se mudou para a capital João Pessoa em 2001 para trilhar o caminho acadêmico. Nesse tempo, ela lançou dois livros: "Os Anjos" e "Enquanto Deus não está olhando", o mais recente.

Com a segunda obra, Débora Ferraz venceu dois prêmios: o Prêmio Sesc de Literatura de 2014 e o Prêmio São Paulo de Literatura de 2015. Atualmente, ela faz doutorado em Escrita Criativa, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

13 de setembro de 2017

Setembro Amarelo: Oeiras intensifica ações de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo: Oeiras intensifica ações de prevenção ao suicídio

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), abriu oficialmente nesta segunda-feira, 11, a programação da campanha Setembro Amarelo em Oeiras – mês escolhido para alertar sobre a importância de ações preventivas ao suicídio. A solenidade de lançamento da campanha aconteceu na sede do CAPS e contou com a participação de usuários e profissionais de saúde, professores e estudantes.

Este ano, as atividades de prevenção e sensibilização incluem blitz nas ruas com panfletagem e adesivagem de carros; rodas de conversa em escolas da rede pública – municipal e estadual – e rede privada; rodas de conversa nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da zona urbana e rural e qualificação para profissionais da Atenção Básica sobre manejo de transtornos mentais. As ações foram iniciadas no último dia 06, com a qualificação para membros do Grupo de Apoio Permanente e Intersetorial de Prevenção e Enfrentamento ao Suicídio.

“Levaremos informações a população sobre os sinais de alerta, fatores de riscos relacionados ao suicídio, como identificá-los e onde buscar ajuda. Todas as ações que estão sendo desenvolvidas contam com o apoio do CAPS, Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF), Núcleo de Prevenção ao Suicídio, e ainda tem a parceria do Grupo de Capoterapia de Oeiras”, ressalta Suely Viana, coordenadora do CAPS.

Auridene Freitas, secretária municipal de Saúde, lembra que o município de Oeiras desenvolve ações contínuas de prevenção ao suicídio. “Durante o mês de setembro intensificamos as ações que já acontecem no município dentro de uma rotina. Ações estas desenvolvidas pelos profissionais do CAPS, em parceria com o NASF, Atenção Básica (Programa Saúde da Família – PSF) e sociedade em geral”, destaca a secretária.

Núcleo de Prevenção ao Suicídio é referência para outros municípios

Assunto complexo, tratado durante muito tempo como tabu, o suicídio, que reflete fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais e também culturais, tem sido desvendado, nos últimos quatro anos, através campanha. O Piauí ocupa o 3º lugar em número de suicídios no Brasil. Oeiras aparece na 5ª posição em ocorrência de casos.

“Em Oeiras, o índice é bem elevado, pois registramos de três a seis casos, por ano. Se olharmos historicamente para essa problemática, o nosso município já chegou a registrar 12 casos por ano, porém nos últimos anos conseguimos reduzir consideravelmente esses números, através de ações de desenvolvidas no serviço de saúde mental de nosso município”, frisa Suely Viana, destacando o papel significativo desempenhado pelo Núcleo de Prevenção ao Suicídio.

Auridene Freitas informa que o trabalho realizado pelo Núcleo de Prevenção ao Suicídio, organismo fundado em 2010, tem se tornado referência para outros municípios. “Estamos sendo convidados para levar nossas experiências para outras cidades”, comenta a secretária, lembrando que o Núcleo foi premiado recentemente num evento nacional, sediado em Brasília.

Intitulado “Um novo olhar sobre a prevenção do suicídio, na perspectiva de uma abordagem multiprofissional”, o trabalho premiado relata experiências do Núcleo de Prevenção ao Suicídio no desenvolvimento de ações e propostas focadas na linha de cuidado em rede, com o encaminhamento aos serviços de referência (CAPS I) e construção do Projeto Terapêutico Singular e Matriciamento, suporte realizado por profissionais de diversas áreas especializadas dado a uma equipe interdisciplinar com o intuito de ampliar o campo de atuação e qualificar suas ações.

“O suicídio é um grave problema de saúde, tratado como uma pandemia. Este ano, temos como foco “Conversar Previne”, estimulando e buscando vários segmentos da sociedade para participar conosco desta luta”, pontua a secretária.

“Esperamos minimizar o índice de suicídio em nosso município, bem como reduzir os casos de tentativas e danos sociais causados por este fenômeno, informar a população que a melhor forma de evitar um suicídio é conversando a respeito do problema”, acrescenta a coordenadora do CAPS.

Onde procurar ajuda?

  • Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I)
  • Núcleo de Prevenção ao Suicídio
  • Estratégia Saúde da Família
  • UPA/Hospital Regional Deolindo Couto

Projeto ‘Arte da Palavra’ aproxima estudantes da literatura em Oeiras

Projeto ‘Arte da Palavra’ aproxima estudantes da literatura em Oeiras

Pela 3ª vez, Oeiras foi contemplada com o projeto Arte da Palavra, do Serviço Social do Comércio (Sesc). O projeto, que acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, está sendo desenvolvido com acadêmicos do curso de Letras/Português da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

Vaneza Sousa, coordenadora do Sesc, explica que o objetivo do Arte da Palavra é divulgar a literatura, incentivar a leitura e aproximar a população da obra literária. “Oeiras está dentro do Circuito de Criação Literária, composto por oficinas literárias de diferentes temáticas. Aqueles que já escrevem, vão ampliar seus conhecimentos na escrita. E para os iniciantes, que desconhecem algumas técnicas, a oficina ajuda a aprimorar”, argumenta a coordenadora.

A oficina, que está sendo ministrada pela jornalista e escritora Débora Ferraz, também tem o propósito de exercitar a prática da escrita literária nas suas diferentes manifestações e criar leitores com maior bagagem literária. “Cada vez que eu passo com uma oficina na Arte da Palavra, sempre tenho uma intenção, mas acaba que fica um pouco diferente…A ideia é passar um pouco das técnicas que utilizo para escrever, para que as pessoas consigam desenvolver seus textos ou pontos de vista e conheçam outras abordagens e outra forma de olhar a produção textual”, pontua a escritora.

Iniciado nesta segunda-feira, 11, o projeto acontece até sexta-feira, dia 15, na sala de multimídia da Uespi. “Ao logo da semana vamos trabalhar alguma coisa sobre construção de personagem, construção da cena, as duas histórias implícitas no conto”, comenta a escritora, que já viajou para outras cidades com o projeto.

Débora Ferraz

A pernambucana Débora Ferraz é formada em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e escreve desde 2003. Natural de Serra Talhada, no sertão paraibano, ela se mudou para a capital João Pessoa em 2001 para trilhar o caminho acadêmico. Nesse tempo, ela lançou dois livros: “Os Anjos” e “Enquanto Deus não está olhando”, o mais recente.

Com a segunda obra, Débora Ferraz venceu dois prêmios: o Prêmio Sesc de Literatura de 2014 e o Prêmio São Paulo de Literatura de 2015. Atualmente, ela faz doutorado em Escrita Criativa, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

12 de setembro de 2017

Mercado Municipal Dona Lili ganha 20 novos estabelecimentos em Oeiras

Mercado Municipal Dona Lili ganha 20 novos estabelecimentos em Oeiras

Vinte novos negócios estão sendo abertos no Mercado Municipal Dona Lili, em Oeiras. Na manhã da última sexta-feira, 08, o prefeito José Raimundo recebeu alguns dos novos permissionários para a assinatura dos contratos.

“Assinamos hoje os contratos e na próxima semana os novos permissionários devem começar suas atividades no mercado”, comenta Giovane Oliveira, diretor do Mercado Dona Lili. Em agosto, mais de 30 novos estabelecimentos foram abertos no Mercado Municipal de Oeiras.

Aberto em março deste ano, o centro comercial possui quatro hectares de estruturas para diversas atividades comerciais e é referência no território do Vale do Rio Canindé. O local conta com 511 unidades comerciais – espaços para açougues, peixarias, seção de frutas e verduras, lojas de roupas e calçados, cereais, lanchonetes, restaurantes e outras as atividades econômicas.

07 de setembro de 2017

Vila Santa Teresa recebe ações do projeto CRAS mais perto de você

Vila Santa Teresa recebe ações do projeto ‘CRAS mais perto de você

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) prossegue com as ações do ‘CRAS + Perto de Você’, projeto tem o propósito de descentralizar as ações dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS I e II) e ampliar sua atividade nos bairros. Desta vez, a comunidade contemplada foi a Vila Santa Teresa, que recebeu a equipe de profissionais na última quarta-feira, 30.

Na ocasião, os moradores da Vila Santa Teresa e comunidades vizinhas tiveram acesso a uma gama de serviços, oferecidos nos CRAS – orientação e solicitação Benefício de Prestação Continuada (BPC); orientação e solicitação de Passe Livre Intermunicipal, Cultura e Interestadual; orientação e solicitação de Carteira do Idoso; orientação e realização de Cadastro Único/bolsa família; encaminhamento para outras políticas públicas; Oficina confecção de Produtos de Limpeza; Oficina de confecção Pintura em pano de pratos, Oficina de Pintura de Rosto em crianças, sorteio de cestas básicas e brinquedos para a comunidade.

Também foram realizadas atividades envolvendo outros programas que integram a rede de Assistência Social, como o AEPETI e o Criança Feliz, além do grupo de Hip Hop ZKo Clã.

A secretária municipal de Assistência Social, Vanessa Reinaldo, considera que o ‘CRAS + Perto de Você’ aproxima as instituições do seu público alvo. “Além disso, este projeto contribui para estreitamento dos vínculos que devem existir entre os mesmos, oportunizando a população mais vulnerável serviços que possam beneficiá-las”, argumenta a secretária.

06 de setembro de 2017

30 de agosto de 2017

Oeiras recebe homenagem pelos 300 anos na Câmara dos Deputados

A sessão solene foi um espaço de visibilidade nacional para a história e a cultura

Completando 300 anos, o município de Oeiras e o povo oeirense foram homenageados na manhã desta terça-feira, 29, na Câmara dos Deputados, em Brasília. Solicitada pelo deputado federal Assis Carvalho, a sessão solene aconteceu no Plenário Ulysses Guimarães e reuniu diversas personalidades políticas, entre elas: o governador Wellington Dias, o prefeito de Oeiras, José Raimundo; os senadores Ciro Nogueira e Regina Sousa; os deputados federais Mainha, Silas Freire e Marcelo Castro; deputados estaduais Bessah e Mauro Tapety; e o secretário da Cultura do Piauí, Fábio Novo.

A sessão solene foi um espaço de visibilidade nacional para reverência à história e à cultura da primeira capital do Estado e cidade mais antiga do Piauí. Além disso, o evento divulgou a participação de Oeiras na luta pela Independência do Brasil. A velha capital teve participação decisiva, com a adesão à emancipação em 24 de janeiro de 1823, desafiando a Coroa Portuguesa que havia destacado para a Província do Piauí o experiente Major João José da Cunha Fidié a fim de garantir a fidelidade do norte brasileiro a Portugal.

O governador Wellington Dias lembrou da importância histórica e da cidade e de seu papel enquanto importante palco da autonomia política estadual e nacional. “Quando a gente lembra a história do Brasil, quais as cidades mais antigas, lembramos de Salvador, Olinda, Rio de Janeiro, São Luís do Maranhão. Oeiras há 300 anos já tinha ocupação, e recebeu a condição de cidade, uma das mais antiga do Brasil. Foi ali onde se consolidou a independência do Brasil, a independência do norte do Brasil. Ali quando se derrotou o Major Fidié para que o grito de Dom Pedro Primeiro pudesse segurar essa parte do Brasil, aqui do Ceará, Piauí, Maranhão e a região da Amazônia”, rememorou o governador.

O prefeito José Raimundo destacou as ações programadas pela Prefeitura Municipal e Governo do Estado para celebrar o tricentenário de Oeiras ao logo de todo o ano de 2017. “Para esse ano comemorativo, pensamos em promover ações em parceria com o Governo do Estado do Piauí e juntamente com o governador, criamos através das secretarias de cultura do estado e do município, um vasto calendário de eventos culturais que está acontecendo desde janeiro”, discursou o prefeito.

“Quero aqui dizer a todos os presentes que, o que comemoramos mesmo ao logo desse ano, é o que Oeiras tem de melhor: O seu povo! A sua gente! Quem vive e convive com a cidade no seu cotidiano. Quem produz na zona rural com todas as adversidades, quem está nas escolas educando nossas crianças e conseguiram elevar o IDEB da nossa rede municipal, ficando abaixo somente da capital Teresina.  Nossos artistas e historiadores que contam e recontam essa história secular tornando-a viva”, acrescentou José Raimundo.

Bandolins Mirins encantam

A sessão foi encerrada com a participação do grupo Bandolins Mirins de Oeiras, que encantaram os presentes tocando o instrumento típico da cultura oeirense. Formado pelos jovens Rhyan Vittor, Ivan Filho, Alexandre Augusto, Antônio Roberto e Giovanna Fontes e pelo professor Herberth Vinícius, o grupo nasceu de um projeto da Secretaria Municipal de Educação, na Escola Municipal Lourenço Barbosa. Atualmente o grupo toma aulas na Escola de Bandolins Dona Petinha, mantida pelo Governo do Estado, no Sobrado Major Selemérico.

Em seu discurso, na manhã desta terça-feira, em Brasília, o prefeito José Raimundo ressaltou a importância do grupo para a manutenção da tradição musical oeirense. “Somos reconhecidos nacionalmente pela tradição dos bandolins, tradição essa que é repassada de geração a geração, como podemos ver no grupo da Escola de Bandolins Dona Petinha, trabalho iniciado a partir de uma oficina de educação patrimonial realizada pela Secretaria Municipal de Educação de Oeiras e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Oeiras e que levou à criação do núcleo de cultura da Escola Lourenço Barbosa, que hoje integram o projeto da escola de bandolins revitalizada no Sobrado Major Selemérico pelo secretário de cultura do estado Fábio Novo, um parceiro importante do município na valorização de nossa cultura”, destacou o prefeito.

Os Bandolins Mirins se apresentaram ao final da sessão solene, brindando os presentes com o Hino de Oeiras e composições de grandes expoentes da música brasileira como Heitor Villa Lobos e Geraldo Vandré.

29 de agosto de 2017

Prefeitura entrega reforma e ampliação de escola na zona rural

Prefeitura entrega reforma e ampliação de escola na zona rural de Oeiras

A Prefeitura de Oeiras entregou na manhã desta segunda-feira, 28, a obra de reforma e ampliação da escola municipal Dr. Raimundo Campos, no povoado Boa Nova, zona rural do município. A solenidade de inauguração contou com a participação do prefeito José Raimundo e da secretária municipal de Educação, Tiana Tapety.

Totalmente reformado, o centro escolar recebeu uma nova sala de aula, biblioteca e uma sala de internet. Modernização que, de acordo com a secretária Tiana Tapety, vai proporcionar aos alunos a oportunidade de estudar em um local mais organizado, confortável e seguro. 


“Estamos cuidando com mais detalhe das escolas da rede municipal”, comenta Tiana, informando que, no início de setembro, será entregue a reforma e ampliação da escola do povoado Contentamento. “A escola municipal Visconde da Parnaíba também será reformada este ano”, acrescenta.

Junto com a inauguração da reforma na escola, o prefeito José Raimundo realizou a entrega de um ônibus escolar para a comunidade. “Este veículo vai para atender as demandas de transporte escolar nas localidades Malhadinha do Meio, Tapera, Canto do Saco e Boa Nova”, informa o gestor.

Ainda em visita a zona rural do município, o prefeito acompanhou o início da obra de pavimentação poliédrica no povoado Malhada Grande. Orçado em R$ 282, o calçamento das vias é feito através de convênio da Prefeitura Municipal com a Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH).

23 de agosto de 2017

Prefeitura envia à Câmara projeto que cria órgãos municipais de trânsito

Prefeitura de Oeiras envia à Câmara projeto que cria órgãos municipais de trânsito

A Prefeitura de Oeiras encaminhou à Câmara de Vereadores, na noite desta segunda-feira, 21, o projeto de lei que propõe a criação de um sistema municipal de trânsito na cidade, ou seja, a integração do município ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT), prevista pela Constituição Federal e apoiada pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

No projeto, a Prefeitura propõe a criação da Gerência de Transportes e Trânsito, a Coordenação de Trânsito do Município de Oeiras – COTRAN e da Junta Administrativa de Recursos de Infração de Trânsito – JARI.

O líder do prefeito na Câmara, vereador Espedito Martins, explica que, com a implantação do serviço municipal, aspectos como fiscalização, educação e engenharia passam a ser geridos pela Prefeitura, através dos órgãos municipais de trânsito.

“A gestão do serviço pelo município vai garantir melhorias na administração viária, possibilitando a redução no índice de acidentes, sobretudo de motos, e promoção de medidas educativas e de fiscalização mais efetivas”, destaca o parlamentar, informando que cidades como Parnaíba, Campo Maior, Picos, Floriano, São João do Piauí e São Raimundo Nonato implantaram o sistema municipal com êxito.

O vereador comenta que o projeto lei prevê também a realização de concurso público para o cargo de Agente Municipal de Trânsito e ressalta que a nova política prevista para o trânsito, pressupõe a implantação de estruturas que viabilizam melhorias na sinalização, inspeção e educação de condutores e pedestres, que tornam o trânsito mais seguro.

22 de agosto de 2017

FestLuso começa nesta terça (22) em Oeiras com espetáculo de Moçambique

FestLuso começa nesta terça (22) em Oeiras com espetáculo de Moçambique

O Cine Teatro Oeiras recebe esta semana dois espetáculos internacionais, através do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso), iniciativa cultural com apresentações de diferentes grupos, unidos pela língua portuguesa.

Nesta terça-feira, 22, o artista moçambicano Klemente Tsamba leva ao palco o espetáculo “Nos Tempos de Gungunhama”, produção baseada na tradição oral dos contadores de histórias africanos, em que um único elemento se desdobra em vários personagens para retratar alguns episódios mágicos paralelos à vida do célebre rei tribal moçambicano Gungunhana. Na peça, Klemente Tsamba interpreta seus personagens com a musicalidade dos ritmos tradicionais de Moçambique.

Na quarta-feira, 23, o espetáculo o FestLuso apresenta a produção “Nós não morremos”, da Companhia Sorriso Negro, que aborda o povoamento do território de São Tomé e Príncipe, destacando a eclosão de revoltas, escravidão, reconstrução e independência do país.

Os dois espetáculos têm classificação livre e entrada franca.

FestLuso no Cine Teatro Oeiras

Terça – 22/07
FestLuso – Espetáculo Nos tempos de Gungunhanha – Klement Tsamba – Moçambique
Classificação: Livre
Horário: 20h
Entrada franca

Quarta – 23/07
FestLuso – Espetáculo Nós Não Morremos – Cia. Sorriso Negro – São Tomé e Príncipe
Classificação: Livre
Horário: 20h
Entrada franca