• Águas de Teresina
  • assinatura jornal

Notícias Cabeceiras

10 de julho de 2015

FPM de Cabeceiras aumentou, mas não se vê avanço. lamenta Zé Ozires

Zé Ozires

Em entrevista ao longah.com, o ex-prefeito de Cabeceiras, José do Ozires, lamentou a forma como a cidade está sendo administrada pelo prefeito José Joaquim. Um dos primeiros pontos que ele tocou foi a falta de uma escola de tempo integral. “Sabemos que o Governo do Estado viabiliza, facilita a implantação de escolas de tempo integral, mas em Cabeceiras não se sabe porque ainda não foi implantada”, disse.

O ex-prefeito destacou que o adversário pregava mudança em sua campanha, mas que até agora nada foi mudado. “Só se for para pior”, frisou. Ele acrescentou que apesar do valor do Fundo de Participação do Município (FPM) ter aumentado, a Prefeitura de Cabeceiras não conseguiu avançar em obras ou serviço. “A atual gestão foi beneficiado com o aumento da população e, consequentemente, o aumento do FPM. Ele saiu do coeficiente 06 para o 08, o que aumenta em média R$ 120 mensais. Se eu fosse prefeito com esse dinheiro eu faria bem mais”.

Ele destacou ainda que o atual prefeito, por ser médico, poderia ter feito mais pela Saúde. “Não vejo mudanças significativas. Na minha época, eu disponibilizava transportes para a população fazer exames de média e alta complexidade e consultas especializadas carro trazendo par em Teresina. Agora há alguns exames que são feitos lá de forma precária.  Equipamentos são carregados em fundo de carro, podendo perfeitamente apresentar diagnóstico equivocado. Seria melhor que fossem enviados para Teresina”.

POLÍTICA

“O meu nome é um dos nomes que está sendo cogitado para prefeito de Cabeceiras. Mas as conversas ainda vão avançar. Nosso grupo só cresce e estamos confiantes na vitória. Agora mesmo um vereador que obteve 320  votos aderiu ao nosso grupo”, ressaltou José Ozires.

Segundo o ex-prefeito, a cidade avançou mais em infra-estrutura em sua gestão e agora vai focar em geração de emprego e renda.

“Nos meus três mandatos e nos dois mandatos dos outros candidatos que me sucederam, eu cuidei muito da infra-estutura, estradas, calçamento da sede, sistema de abastecimento d’água, etc. Agora meu foco será emprego, renda. Quero promover situações que melhorem a qualidade de vida da população, concluiu.

Fonte: longah.com

16 de junho de 2015

Cinco vereadores são contra a valorização dos Profissionais de Educação

A sessão aconteceu nesta segunda-feira 15

Vereadores que dão sustentação a base do prefeito José Joaquim (PP) na Câmara Municipal rejeitaram as propostas de emendas ao Plano Municipal de Educação – PME de Cabeceiras do Piauí.

Apesar da pressão de vários servidores da educação presentes na Câmara na sessão desta segunda-feira 15, as propostas de emendas ao PME, apresentadas pela oposição, foram rejeitadas. Se aprovadas, as emendas iriam melhorar e muitos a situação dos professores do município, tendo em vista que o Plano Municipal de Educação foi discutido  e aprovado em Conferência envolvendo os professores,  representantes do Poder Executivo, da Secretaria Municipal de Educação, do Poder Legislativo, de Pais e Alunos e do Ministério Público (Conselho Tutelar).

Porém o prefeito José Joaquim enviou o Plano Municipal de Educação para aprovação na câmara e retirou do texto original o que os conferencista decidiram.

Os vereadores de oposição Maria do Carmo (PDT), Solange Pereira (PRB), Auri Soares (PSD) e Chiquinho Almeida (PSDB) procurados pelos os servidores e em consenso com os vereadores da situação apresentaram as emendas.

Os vereadores da situação  Gonzaga da Pesca (PTB -Presidente), Filho Lages (PSDB), Ricardo Barbosa (PTB) e Baxim (DEM) embora terem entrado em consenso com os vereadores da oposição sobre as emendas votaram contra, quem também votou  contra foi o vereador Luis Gomes (PSDB).

Ok