ÁUDIO: Strans diz que notícias que agravam crise dos ônibus devem ser deixadas de lado

Em reunião, prefeitura teria prometido projeto de aumento de frota de 300 ônibus a partir desta sexta-feira (30). Essa medida atenderia um reinvindicação Sindilojas. No entanto, Strans afirmou que crise deve ser deixada de lado

01/10/2021 11:38h - Atualizado em 01/10/2021 12:49h

Compartilhar no

O Portal O Dia.com procurou a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), na manhã desta sexta-feira (01), para comentar um projeto discutido em reunião na quarta-feira (29) com representantes do Sindicato dos Lojistas do Piauí  que dobraria a frota do transporte públicoem Teresina. Contudo, a assessoria do órgão municipal afirmou que a informação está equivocada e que pautas que agravam a crise do transporte público devem ser deixadas de lado pela imprensa. O Sindilojas, por sua vez, reafirmou que a promessa foi feita e que tomará “as medidas necessárias para resolver o caso”.  

Foto: Arquivo/ODIA 


“A reunião aconteceu e essa pauta foi distribuída, não foi equivocada. Se eles estão dizendo, nós iremos tomar as medidas necessárias. Não irei mais acrescentar sobre o caso. O que posso dizer é que iremos tomar as medidas cabíveis porque estamos esperando o cumprimento do que eles prometeram lá. Se eles não cumprirem, iremos ver outras ações que a gente pode fazer. Não vou ficar de bate bola com a prefeitura porque já entendi a situação, dizem uma coisa e depois não faz”, disse Tertulino Passos, presidente do Sindilojas.


Questionada sobre a situação, a assessoria da imprensa da Strans disse que a pauta, que ‘agrava a crise do transporte público’, deveria ser deixada de lado. (Ouça o áudio abaixo:).


Ontem, o presidente do Sindilojas informou ao O Dia que a promessa feita pela prefeitura faria com que o número de ônibus que opera na cidade atualmente subisse de 150 para 300. Conforme o sindicato, essa seria uma medida para diminuir os prejuízos causados ao comércio (clientes e colaboradores) pela falta do transporte que já dura mais de dez meses.

Setut diz que não foi comunicado 

A reportagem procurou também o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) que informou que o “setor não foi comunicado sobre essa decisão.”. O Setut disse ainda que consórcios estão desde a quinta-feira passada esperando um retorno da Prefeitura de Teresina.

Crise prologada 

O problema do transporte público foi uma das pautas prioritárias do prefeito Dr. Pessoa (MDB) nos 100 primeiros dias de gestão. Após 10 meses meses, a crise no sistema ainda não foi solucionada. Em Teresina, recentemente, um funcionário dormiu no trabalho porque não tinha ônibus para voltar para casa . Sobre esse caso que ganhou repercussão no Estado, a prefeitura disse que os ônibus estão circulando dentro de uma ordem de serviço e lembrou que a cidade está em meio a uma pandemia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário