• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Vereadores querem antecipar troca de sigla para antes da janela

A proposta seria uma definição em consenso com as siglas de origem, facilitando uma troca partidária antes do período permitido pela legislação, em março de 2020.

27/09/2019 06:48h - Atualizado em 27/09/2019 12:14h

Em situação indefinida em seus partidos, principalmente os que não conseguiram atingir a cláusula de barreira em 2018, muitos vereadores estudam uma maneira de antecipar suas filiações a outras agremiações. O intuito é acelerar os entendimentos em torno da renovação de seus mandatos na Câmara Municipal de Teresina (CMT), na eleição do próximo ano.

A proposta seria uma definição em consenso com as siglas de origem, facilitando uma troca partidária antes do período permitido pela legislação, em março de 2020. “Vamos, através dessas notificações extraoficiais, buscar os partidos para que eles possam nos dar uma definição para podermos trabalhar dentro da legenda que está de braços abertos para nos receber”, disse a vereadora Graça Amorim, que negociada sua ida para o Progressistas (PP).


Leia também:

PL deve apostar em policiais e delegados como candidatos 

Themístocles diz que MDB deve eleger cinco vereadores na Capital 


Além dela, outros parlamentares municipais vivem situação adversa dentro de seus partidos e atuam, sem oficializar adesão, por outras siglas. É o caso do presidente da CMT, vereador Jeová Alencar, que mesmo ainda filiado ao PSDB, já anunciou sua adesão ao MDB, onde tem participado dos entendimentos em torno da disputa eleitoral.

Amorim ressalta que a antecipação deste processo, facilitado pelos partidos ao qual pertencem atualmente, viabiliza os entendimentos em torno da reeleição desses vereadores. “Chegaremos aos partidos com maior segurança e consistência, para que eles possam, efetivamente, dar credibilidade a nossa candidatura”, finaliza.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Ítalo Barros coloca destino partidário entre PSDB e PP

Atualmente filiado ao PTC, legenda que não atingiu a cláusula de desempenho nas eleições de 2018, o vereador Ítalo Barros avalia opções para migrar para outra sigla. Entre as opções, despontam PSDB e PP, ambos partidos alinhados na administração municipal de Teresina e que devem estar juntos no pleito do próximo ano.


“Me sinto bem próximo do PSDB, por sua história de luta, por ser um dos partidos que têm prestado um serviço ao município de Teresina. Mas, sem dúvidas, me sinto também próximo ao PP [...]. Será uma decisão difícil mas que vai ser tomada não para o meu melhor, mas para o bem do município”, disse o vereador.


Ítalo Barros diz que pesará na escolha a opinião da base política e eleitoral - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Além de levar em consideração a opinião da sua base política e eleitoral, Ítalo Barros frisou que pesará na sua decisão a capacidade do partido lhe permitir uma atuação legislativa de destaque. “Que me proporcione um mandato de vereador em uma forma plena, com total praticidade e de total desenvolvimento para o município de Teresina”, pontuou.

O parlamentar também era sondado por outros partidos, como o Patriotas, mas as negociações não avançaram. Embora PSDB e PP ganhem destaque como principais alternativas, Ítalo Barros garante que só irá oficializar sua mudança partidária no período permitido por lei, na janela de 2020.

Por: Breno Cavalcante, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário