• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

“Peço perdão a família dele”, diz suspeito de matar Gabriel Brenno

Deivid Ferreira da Silva foi detido na manhã de hoje (07) no bairro Verde Lar, zona Leste de Teresina.

07/08/2019 11:32h - Atualizado em 08/08/2019 08:04h

Foi preso na manhã desta quarta-feira (07) o suspeito de assassinar a tiros o estudante Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, 21 anos, no Centro de Teresina. O autor do crime foi identificado como sendo Deivid Ferreira da Silva, e foi detido no bairro Verde Lar, na zona Leste da Capital.Em entrevista, Deivid apareceu chorando e arrependido “peço perdão a família dele”, diz.

O acusado Deivid Ferreira da Silva (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Segundo o Delegado Carlos Sergio, a família estava se organizando para que o Deivid fosse embora do estado, “os familiares estavam vendendo uma residência no valor de 80 mil reais, e se ficar comprovado favorecimento para que o suspeito permanecesse em fuga, os responsáveis podem ser processados”, conta.


Gabriel Brenno foi assassinado com um tiro na nuca quando ia para o cursinho - Foto: Reprodução/Facebook

Prisão

William Moraes, da Divisão de Captura da Polícia Civil explica que após a decretação da prisão do Deivid, ele empreendeu fuga e o Delegado Geral solicitou auxilio da Divisão de Captura, “nos passamos 10 dias, após a decretada a missão, identificamos o local em que ele se encontrava sozinho, no momento da prisão o suspeito não ofereceu resistência, quando indagado se ele realmente tinha matado o Gabriel ele confessa, e diz como matou e onde matou”, fala.

Acusado disse estar arrependido, pediu perdão a Deus e à família do estudante Gabriel Brenno (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Além disso, o delegado afirma que a casa onde Daivid estava escondido era segura e familiares o visitava durante a madrugada, “ após matar a vitima ele jogou  arma no rio, se desfez da roupa e foi para a residência de uma pessoa conhecida, o dono da cada faleceu em janeiro, e familiares cederam a residência para ele ficar, pois era um local  bem mobiliado, onde nas portas e janelas possuem grades, sendo o local perfeito para ele ficar escondido”, explica.

Os delegados Willame Moraes, da Divisão de Capturas, Sérgio Alencar, do 1º Distrito Policial, e Carlos César Camelo, diretor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (Fotos: Elias Fontinele / O DIA)

Segundo o titular do 1º DP, delegado Sérgio Alencar, Gabriel foi vitima de um crime passional, pois após Deivid ficar sabendo da troca mensagens entre a vitima e a sua esposa. Resolveu investigar a vida do Gabriel, “ele já foi interrogado e confessou a pratica do crime, falou de toda dinâmica. A pena agora vai depender da denúncia que o Ministério Público vai fazer, e se enquadrado em homicídio qualificado a pena pode chegar a 30 anos”, afirma.

O delegado Willame Moraes (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Relembre

O crime aconteceu no final da manhã do dia 17 de julho no cruzamento das Ruas Arlindo Nogueira com Paissandu, próximo ao cursinho onde Gabriel Brenno estudava. Um homem em um carro modelo Ônix se aproximou, sacou a arma e disparou contra a cabeça do estudante. Ele fugiu logo em seguida.

Gabriel foi encaminhado em estado grave para o HUT, onde teve sua morte cerebral confirmada no último dia 23 de julho. Ele sofreu falência múltipla dos órgãos em decorrência da lesão cerebral grave que havia sofrido.

O delegado Sérgio Alencar (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

O delegado Carlos César Camelo (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Carlos César e Luccy Keiko Leal, delegado-geral da Polícia Civil do Piauí (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Por: Maria Clara Estrêla e Sandy Swamy

Deixe seu comentário