• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Acusado de matar Lara Fernandes é preso pela PM ao praticar furtos

Eduardo Pessoa Araújo é foragido do sistema prisional e mantinha um relacionamento com a vítima há dois anos. Caso é investigado pela DHPP.

03/12/2018 16:32h

Foi preso no último sábado (1º), no município de Piracuruca, o principal suspeito de assassinar a jovem Lara Fernandes, de 23 anos, cujo corpo foi encontrado flutuando no Rio Parnaíba, no último dia 7 de novembro. A informação foi confirmada pelo coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Francisco Costa Baretta.

Segundo o delegado Baretta, o suspeito, identificado como Eduardo Pessoa Araújo vulgo Sapão, foi preso pela Polícia Militar de Piracuruca após praticar uma série de furtos e arrombamentos no município. Eduardo, de 27 anos, foi abordado em um veículo de modelo Celta de cor prata e em posse dele teriam sido encontrados vários pertences roubados das vítimas.

Acusado de matar Lara Fernandes é preso pela PM ao praticar furtos. (Foto: Reprodução)

 “No momento da prisão, ele não apresentou o nome dele, mas os policiais conseguiram no interrogatório descobrir o nome verdadeiro e viram que ele é foragido do sistema prisional”, explica o delegado Baretta. Eduardo Pessoa Araújo é condenado por furtos e roubos e, em setembro deste ano, fugiu da Colônia Agrícola Major César após conseguir progressão da pena.

De acordo com o coordenador da DHPP, o suspeito, que é casado e tem dois filhos, mantinha um relacionamento com a vítima há dois anos. Segundo informações coletadas em depoimentos de testemunhas, as agressões físicas e verbais contra a jovem eram recorrentes. “Um dia antes das eleições, por exemplo, a amiga que teve que pagar um táxi pra Lara ir para casa, porque o suspeito tinha agredido tanto ela, deixou ela praticamente sem roupa, sem nada”, relata o delegado. Ainda de acordo com o delegado, outras ex-companheiras também relataram casos de violência doméstica cometidos por ele.

Ainda de acordo com o delegado Baretta, pela posição do projétil coletado na cabeça da jovem no exame cadavérico, a suspeita é de que, no dia do crime, Lara tenha sido espancada e alvejada à queima roupa enquanto estava de joelhos. No momento da prisão, um revólver calibre 32 foi encontrado em posse do suspeito. A arma deverá ser periciada para comprovar se é compatível com o projétil que tirou a vida da vítima.

Eduardo Pessoa Araújo continua preso da delegacia de Piracuruca e deverá ser transferido nos próximos dias para o sistema prisional, ele poderá ser indiciado pelos crimes de homicídio qualificado (feminicídio) e ocultação de cadáver. A previsão é de que ainda esta semana a delegada Luana Alves, titular do Núcleo de Feminicídio da DHPP, faça o interrogatório do suspeito. A prisão foi decretada pelo juiz Luiz de Moura da Central de Inquéritos.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário