• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Acusado de matar dono do Forró do Lula será encaminhado ao Areolino

Juiz converteu o flagrante de José de Andrade Filho em prisão preventiva, considerando a gravidade do crime e a manutenção da ordem pública.

29/10/2019 17:36h - Atualizado em 29/10/2019 17:42h

O juiz Jorge Cley Martins Vieira, titular da Central de Inquéritos de Teresina, determinou que o acusado de matar o próprio padrasto em Teresina, José de Andrade Silva Filho, seja encaminhado ao Hospital Areolino de Abreu onde cumprirá medida cautelar durante a primeira fase do processo. O crime aconteceu no bairro Bela Vista, zona Sul de Teresina, na última quinta-feira (24). A vítima era o senhor Luís Lopes da Costa, 55 anos, proprietário da casa de shows Forró do Lula.


Leia também:

Enteado mata padrasto a golpes de faca em residência na zona Sul 


Para chegar a esta decisão, o juiz Jorge Cley levou em conta o que foi narrado na audiência de custódia do acusado e também a análise dos documentos apresentados que, em tese, demonstram que José de Andrade teria transtornos mentais

O delegado que atendeu à ocorrência, Jarbas Lima, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já havia dito no dia do crime que José teria depressão, transtorno bipolar, ansiedade e que ele tomava remédios controlados, conforme o relato de familiares à polícia. O encaminhamento dele ao Hospital Areolino de Abreu, segundo a decisão da justiça, visa justamente preservar sua integridade física e a de terceiros.


Luís Lopes da Costa foi assassinado dentro da própria casa - Foto: Reprodução/WhatsApp

Já para a conversão do flagrante em prisão preventiva, o magistrado considerou a gravidade do delito praticado por ele. José tirou a vida de Luís Lopes com golpes de arma branca após uma discussão e fugiu no próprio carro em seguida. Partindo da premissa de que o homicídio foi cometido com uso de extrema violência, Jorge Cley considerou ser cabível a conversão do flagrante em prisão preventiva. 

“Tal conduta demonstra a periculosidade do custodiado, que, caso seja posto em liberdade, trará um risco à ordem pública”, discorreu o juiz. Jorge Cley ressaltou também que o fato de José ser réu primário, ter endereço certo, identificação civil nos autos e outras condições favoráveis, não lhe confere o direito de praticar crimes, sejam eles quais forem, e, de responder ao processo em liberdade.

Entenda

Na última quinta-feira (24), José de Andrade Silva Filho assassinou com golpes de faca o próprio padrasto no, Luís Lopes da Costa, após uma discussão. O acusado fugiu depois do crime, mas foi preso horas depois em uma barreira policial no Lourival Parente. Sem resistir à prisão, ele foi autuado em flagrante por homicídio e, desde então, encontra-se custodiado.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário