• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Acusado de matar doméstica é condenado a 22 anos de prisão

Zé Ioiô já possuía medida protetiva por violência doméstica, chegou a ser preso, mas foi solto pela Justiça. Crime aconteceu em junho de 2018.

29/11/2019 08:20h

Fernando José de Sousa Silva, conhecido como Zé Ioiô, foi condenado pelo Tribunal do Júri a 22 anos e três meses de prisão por ter assassinado a ex-companheira, Irismar Castro, em junho de 2018. O julgamento aconteceu na manhã de ontem (28), no Fórum Desembargador João Turíbio, em Piripiri.


Irismar Castro foi morta pelo ex-marido. (Foto: Reprodução)

O Conselho de Sentença, reunido na sala secreta, reconheceu, em sua maioria, pela materialidade e a autoria delitiva, bem como a prática do crime de homicídio com quatro qualificadoras: motivo fútil, meio cruel, recurso que impossibilitou a defesa do ofendido e contra a mulher em razão da condição de sexo feminino. 


Leia mais:

Homem é solto após denúncia de agressão e volta para matar a ex-esposa 

Acusado de matar esposa a facadas vai a júri popular nesta quinta (28) 


O réu deverá iniciar o cumprimento da pena em regime fechado. No entanto, a decisão ainda cabe recurso.

Entenda o caso

A vítima trabalhava de empregada doméstica em uma casa no Centro de Piripiri, quando foi abordada pelo ex-companheiro. Na época do crime, a Polícia Militar informou ao O Dia que Zé Ioiô teria ido até a casa e os dois começaram uma discussãoA doméstica foi atingida por várias facadas desferidas pelo ex-companheiro na região da barriga e acabou vindo à óbito ainda no local do crime. 

Segundo a denúncia, o réu não aceitava o fim do relacionamento com Irismar Castro, com quem foi casado por 15 anos, e já possuía uma medida protetiva por violência doméstica contra a ex-esposa. 

Segundo consta no sistema do Tribunal de Justiça, em abril de 2017, o réu invadiu a casa da vítima na madrugada e quebrou vários objetos. Na época,o ele chegou a ameaçar a vítima de morte. Zé Ioiô chegou a ser preso em flagrante pelo crime, mas foi solto pela Justiça.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário