Planejamento urbano pode prevenir problemas com chuvas, defende CAU-PI

O problema é motivado pela origem das cidades às margens de rios e o crescimento desordenado

04/03/2021 17:34h - Atualizado em 04/03/2021 17:47h

Compartilhar no

As chuvas que atingem várias regiões do Piauí nas últimas semanas acendem o alerta para os problemas urbanos que se repetem anualmente, como enchentes, alagamentos e muitos transpormos aos moradores. O risco de famílias ficarem desabrigadas já é real em alguns municípios, enquanto outros mobilizam equipes para evitar a repetição do drama de anos anteriores.


Leia tambémBairros da zona Leste de Teresina passam mais de 12 horas sem energia 

Norte do Piauí pode ter alagamentos e enxurradas, aponta Cemaden 


Para o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí (CAU-PI), o problema é motivado pela origem das cidades às margens de rios e o crescimento desordenado sem levar em consideração dos limites da natureza. O conselheiro Anderson Mourão defende que só o planejamento com respeito a biodiversidade é capaz de evitar os problemas.  

“Todas as cidades tem o percurso das águas, historicamente. A maior parte das cidades se localizam próximas de rios, isso é uma estratégia logística e econômica. É preciso respeitar o limite dos rios e fazer um planejamento de expansão das cidades, um planejamento econômico, habitacional. Com planejamento, respeitando a biodiversidade, o meio ambiente é possível evitar esses problemas”, afirma.

Anderson Mourão (Foto: Jailson Soares / O Dia) 

Anderson Mourão orienta que as cidades que já sofrem com os transtornos causados pelas chuvas devem reorganizar seu desenvolvimento. “Quando se tem a falta desse planejamento, você tem que conviver com esses problemas de drenagem. O poder público tem que mapear essas áreas de conflito para tirar as famílias dali e ocupar áreas seguras. Só assim para evitar que isso se repita todos os anos”, complementa.

O conselheiro explica que uma ferramenta para garantir o crescimento planejado das cidades é o Plano Diretor, instituído desde 2001 para municípios com população acima de 20 mil habitantes. Através dele é possível dialogar com a população e definir uma expansão respeitando as medidas ambientais. Porém, no Piauí, poucos gestores aderiram ao plano.  

“O Plano Diretor é obrigatório para cidade acima de 20 mil habitantes. No Piauí, temos cerca de 30 cidades com essa população e menor da metade tem seu Plano Diretor. Ele é fundamental para entender melhor a cidade, a movimentação econômica, a preservação ambiental e cultural e com isso você consegue planejar a cidade antes de ocorrer os problemas”, finaliza.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário