• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Comissão encontra insalubridade em hospitais do interior

Hospitais sem ambulância, leitos inoperantes e até denúncias de animais que frequentam os corredores das unidades.

24/09/2019 15:59h - Atualizado em 25/09/2019 09:00h

Uma visita realizada pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa encontrou uma série de irregularidades em hospitais do estado pelo interior. 

A última das visitas, realizada no dia 11 de setembro em municípios como São Miguel do Tapuio (Hospital José Furtado de Mendonça) e Castelo do Piauí (Hospital Nilo Lima), constatou precariedade nos serviços, insalubridade nas unidades, atraso de salários de servidores comissionados e denúncias da presença de animais, como gatos, dentro dos hospitais.

De acordo com a deputada Teresa Britto (PV), que integra a comissão e esteve em visita às unidades, os hospitais estão com leitos vazios por conta das más condições, além de atraso nos repasses para custeio da saúde. 

Alguns servidores estão com cerca de 9 meses de atraso e os repasses para compra de insumos e outros itens do hospital chegam a 15 meses, como é o caso do hospital de Castelo do Piauí, que possui 47 leitos e destes poucos funcionam (Confira mais fotos no final da matéria).


Comissão em visita aos hospitais de Castelo do Piauí e São Miguel do Tapuio. (Foto: ascom)

“O hospital tem vidros quebrados, tem ar-condicionado quebrado, tem gato entrando dentro e deve ter rato e outras coisas dentro, segundo denúncias. Salários de profissionais que ganham um salário mínimo como técnicos de enfermagem, serviços gerais, há 9 meses atrasados. Nós vimos o clamor, o choro mesmo dessas pessoas, que só estão sobrevivendo porque estão recebendo uma cesta básica de um colega ou de outro, que estão recebendo do estado, que estão em dias”, relatou a deputada.

Em São Miguel do Tapuio o hospital José Furtado de Mendonça, que chegou a realizar cirurgias de média complexidade, partos cesarianas e atendimento de urgência 24 horas, na época da visita só tinha um paciente em um dos 40 leitos que antigamente funcionavam.

“Não encontramos ambulâncias, as ambulâncias estão quebradas, médicos a escala parcialmente aberta e o hospital não tem lavanderia, ou seja, nos anos que tem passado tem só definhado, dissecado os serviços que lá deveriam ser ofertados”, explica Teresa Britto.


Equipamentos desgastados e insalubres foram constatados nos hospitais. (Foto: ascom)

A deputada explica ainda que dos hospitais visitados pela comissão o único que apresenta a gestão em dias com os serviços e a contento é o de Esperantina. Até mesmo hospitais estaduais de cidades maiores como Floriano e Picos apresentam insalubridades e deficiência nos atendimentos.

“O único lugar que encontramos em dias foi em Esperantina. Inclusive tem denuncias desse tratamento desigual, ou seja, locais eles tratam bem, pouquíssimos, só encontramos um, diga-se de passagem, já foram 17 visitados, inclusive com a vistoria que nós retornamos, como é o caso de Floriano”, disse a deputada.


Visita constatou deficiência nos hospitais de Castelo do Piauí e São Miguel do Tapuio. (Foto: ascom)

Em entrevista ao Jornal O Dia, o Secretário de Saúde, Florentino Neto, afirmou que a secretaria eleva as críticas em patamar de seriedade e que uma equipe da pasta acompanha as visitas e leva as demandas ao órgão. Florentino disse ainda que problemas pontuais podem existir, mas que os números obtidos pelos hospitais de interior mostram crescimento nos atendimentos, cirurgias e demais serviços e condizem com os investimentos que estão sendo feitos.

“Com toda a atenção, respeito ao trabalho da Assembleia Legislativa. Levamos sempre as críticas ao patamar de elevada seriedade, sabemos depurar as críticas e fazer as intervenções necessárias quando observamos que a crítica encontra respaldo na realidade das unidades. Disponibilizamos sempre uma equipe nossa para acompanhar as visitas e acredito que com essas discussões vai surtir efeito positivo para a saúde do Piauí. Nós temos tido um crescimento dos atendimentos, do número de cirurgias e demais serviços ofertados a população nos hospitais estaduais, que estão localizados em municípios do interior do Estado, e buscamos aprimorar esses hospitais com novos equipamentos, novos métodos, novas estruturas, temos feito isso. Problemas pontuais podem existir, mas os investimentos estão sendo feitos e os números demonstram que o crescimento é considerável”, disse o secretário.

Por: Rodrigo Antunes

Deixe seu comentário