Cepa indiana: Piauí irá reforçar barreiras em 26 municípios na fronteira com Maranhão

Reunião realizada na manhã de hoje definiu estratégias a serem adotadas para evitar a disseminação na variante indiana do novo coronavírus no estado.

25/05/2021 12:10h

Compartilhar no

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira (25), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) definiu que irá intensificar a fiscalização nas barreiras sanitárias localizadas em 26 municípios que fazem fronteira com o estado do Maranhão. A medida tem como objetivo evitar a disseminação a cepa indiana do novo coronavírus no Piauí

Nesta segunda-feira (24), o Ministério Público do Piauí havia expedido uma recomendação para que o Piauí adotasse providências para evitar a incidência da variante indiana no novo coronavírus. Até o momento, o Maranhão já registrou seis casos da doença em tripulantes do navio MV SHANDONG DA ZHI, que chegou ao litoral maranhense vindo da Malásia.


Leia também: Dr. Pessoa sobre cepa indiana no Maranhão: 'Vamos ter cuidado maior nas barreiras' 

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, participou da reunião juntamente com uma equipe técnica da Secretaria de Estado da Saúde que integra o programa Busca Ativa e com representante do comando da Polícia Militar. Segundo ele, serão intensificados os trabalhos das barreiras sanitárias nos pontos essenciais do estado, como fronteiras, rodoviárias e aeroportos. 

“Neste momento, o que nos chama mais a atenção, e se mostra como nossa prioridade, é a intensificação das barreiras sanitárias nos limites com o estado do Maranhão. Fizemos uma revisão das 25 barreiras que atuam nas divisas entre os dois estados, elas serão reforçadas e trabalharão 24 horas por dia para que possam identificar casos sintomáticos e suspeitos, dando o direcionamento que os protocolos recomendam”, disse o secretário.

Além de Teresina, a fiscalização também será intensificada nos municípios de Ilha grande, Parnaíba, Gilbués, Santa Filomena, Ribeiro Gonçalves, Uruçuí, Antônio Almeida, Porto Alegre do Piauí, Guadalupe, Jerumenha, Floriano, Amarante, Palmeiras, Nazária, União, Miguel Alves, Porto, Campo Largo do Piauí, Matias Olímpio, Madeiro, Joca Marques, Luzilândia, Joaquim Pires, Murici dos Portelas e Buriti dos Lopes. 

O tenente Coronel Francisco Ramos, representante da Polícia Militar, destacou que a corporação vem atuando com uma parceria direta nos trabalhos das barreiras. “Vamos intensificar as abordagens nas barreiras, apoiando as equipes do Busca Ativa e dando assim a garantia que eles executem os seus trabalhos. O principal foco nesse momento serão as barreiras localizadas nas divisas do Maranhão e queremos garantir esse trabalho que tem o foco apenas de garantir a vida dos piauienses”.

Já a coordenadora do Programa Busca Ativa, Dilia Falcão, responsável pela execução das Barreiras Sanitárias no estado, reforçou que neste momento é essencial o trabalho em conjunto aos municípios, além da cooperação da população, para que as barreiras possam cumprir seu papel de forma efetiva.

“Estamos há um ano trabalhando com as barreiras sanitárias e a cooperação da população é de suma importância. Estamos ali para orientar, mas ao mesmo tempo conseguimos identificar precocemente novos casos e dessa forma podemos ter um acompanhamento mais adequado de casos. Caso alguém esteja se deslocando e esteja com sintomas, procure as barreiras sanitárias, dessa forma a população estará ajudando o trabalho de enfrentamento a pandemia e estaremos cada vez mais perto de ganhar a batalha contra a Covid”, ressaltou.

São Paulo também inicia triagem de passageiros vindos do Maranhão

Nesta terça-feira, a cidade de São Paulo iniciou a triagem em rodoviárias e aeroportos de passageiros vindos do estado do Maranhão. Segundo a prefeitura, a fiscalização incluirá verificação de temperatura, busca por sintomas respiratórios, cadastro dos viajantes e monitoramento por até 14 dias. Até o momento, além do Maranhão, os estados do Ceará e Pará estão monitorando casos suspeitos da nova variante.

Maranhão afirma que não há confirmação de transmissão local da cepa indiana

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde do Maranhão (SES) informou que não há confirmação de transmissão local da nova variante oriunda da Índia no estado. Segundo o órgão, 100 pessoas tiveram contato com os infectados e foram testados. A SES ainda aguarda o resultado da análise de amostras enviadas ao Instituto Evandro Chagas, laboratório de referência para sequenciamento genômico. 

Sobre os tripulantes, o último boletim informa que as 23 pessoas embarcadas seguem assintomáticas e em quarentena no navio “MV SHANDONG DA ZHI”, em área de fundeio, em alto mar. O único tripulante internado continua em leito de Unidade de Terapia Intensiva, com quadro clínico grave, no hospital privado, em São Luís.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário