Sobrecarga nas tomadas é uma das principais causas de incêndios domésticos

Bombeiros atendem até duas ocorrências por semana de incêndios em residências de Teresina.

24/09/2021 13:21h - Atualizado em 24/09/2021 13:29h

Compartilhar no

Durante a época mais quente do ano, é comum o teresinense “andar com o ventilador no meio da casa”. Por conta do calor, chega a ser insuportável permanecer em certos cômodos sem um aparelho de ventilação. O problema é que nem sempre há tomada suficiente na residência para alocar a quantidade de eletrodomésticos em uso ao mesmo tempo e a saída que as pessoas encontram é utilizar um mesmo interruptor para vários equipamentos. 

É aí que entram em uso os T’s e as extensões. No entanto, o que muita gente não sabe, ou sabe e ignora, é o fato de que utilizar uma única tomada para mais de um aparelho eletrônico pode gerar uma sobrecarga no sistema de energia da casa e gerar curtos circuitos com mais facilidade. Quando isso acontece, o que era uma ideia de economia acaba se tornando um prejuízo muito maior.


Foto ilustrativa: Equatorial Piauí

É que uma das principais causas de incêndio doméstico em Teresina é justamente o mau uso ou uso em sobrecarga do sistema de energia dos imóveis, seja com o uso de “tomadas multiplicadoras”, como os T’s e extensões, seja por gambiarras feitas na fiação para que ela suporte uma quantidade de eletrônicos além do que de fato consegue suportar. 

O coronel José Veloso, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Teresina, chama esta prática de “milagre da multiplicação” e explica como ela pode causar prejuízos e, muitas vezes, pôr em risco a vida das pessoas. 

“Em muitos casos a gente identifica esse excesso de instalação. Você tem uma tomada na sua sala e quer botar o carregador do celular, o ventilador, a instalação da antena da TV por assinatura, o roteador da internet. Você tenta fazer essa multiplicação sendo que aquela instalação não foi preparada para aquilo e com certeza ela vai ter problema. Na instalação elétrica que era para ser duas saídas e você põe dez, ela vai aquecer e se ela aquece demais, pode derreter o plástico e romper o isolamento. Aí eu tenho um curto circuito que pode evoluir para um incêndio”, detalha.


Coronel José Veloso explica sobre a sobrecarga das tomadas em uma residência - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Aqui em Teresina, o Corpo de Bombeiros chega a atender até dias ocorrências a cada sete dias de incêndio em residências. Mas há períodos em que esse número sobe, como, por exemplo quando há chuvas e vendavais que causam problemas externos e provocam um “liga e desliga” sem fim de equipamentos eletrônicos nas residências com as oscilações de energia.

O coronel Veloso orienta que, se a energia estiver oscilando, as pessoas desliguem o ar condicionado, a geladeira, principalmente os equipamentos que trabalham com gases de compressão e refrigeração. Isso, porque quando falta energia e ela volta, esse retorno acontece com um pico que pode acabar queimando o eletrodoméstico ou causando curtos-circuitos.

“Nós tivemos um caso recente de um engenheiro que ficou no prejuízo por causa de uma oscilação de energia. Ele e a esposa vivem em uma cidade de praia e foram cuidadosos ao viajar e cobrir os eletrônicos com uma capa plástica para protegê-los da maresia. Só que a energia na casa oscilou, e a palheta do ar condicionado, como acontece quando ele liga e desliga, se mexeu e quando foi retornar para a posição de repouso, acabou prendendo no plástico. Então o motor do direcionador ficou forçando até que esquentou, queimou e incendiou a casa toda”, relata o coronel Veloso.

Em Teresina, durante esta semana, mais dois casos chamaram atenção: no domingo (19), o quarto de uma residência no bairro Gurupi foi destruído em um incêndio. As chamas teriam começado depois de um curto circuito em uma tomada localizada ao lado da cama. Os bombeiros foram acionados, mas o fogo já havia consumido o ar condicionado, a televisão e os móveis do aposento depois que a guarnição chegou.


Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Na tarde do mesmo dia, uma casa localizada na Avenida Campos Sales, Centro, ficou com o teto parcialmente destruído depois de um incêndio. O fogo, assim como na ocorrência anterior, foi causado por um curto-circuito. Os bombeiros tiveram dificuldades em controlar as chamas por conta do risco de desabamento do teto.

Dentre as orientações que ele dá aos teresinenses para evitar situações assim estão sempre manter a atenção quanto à vida útil dos eletrodomésticos e renovar a fiação elétrica da casa sempre que for necessário. Em casos de emergência, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado através do número 193.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário