Crise no transporte: Strans deve colocar 240 veículos em frota alternativa durante greve

Segundo a Strans, a população vai poder contar com a circulação de veículos durante esse período de paralisação.

27/10/2021 16:29h

Compartilhar no

Motoristas e cobradores de ônibus do transporte público de Teresina deflagraram greve por tempo indeterminado, a partir desta quinta-feira (28). Com a decisão da categoria, a Superintendência Municipal de Trânsito (Strans) deverá contar com cerca de 240 veículos do cadastro de reserva do sistema para suprir a necessidade do usuário. 

A Gerência de Planejamento de Transporte Público explica o objetivo é fornecer o serviço ao usuário do transporte público e minimizar os prejuízos causados durante a grave. De acordo com a Gerência, a população vai poder contar com a circulação de veículos durante esse período de paralisação 

“A Strans reforça que os veículos cadastrados irão fazer a mesma rota dos ônibus, seguindo a ordem de serviço e a rota já determinada, onde eles têm por obrigação de cumprir a mesma rota dos ônibus existentes. Caso venha descumprir, poderá perder o direito de circular. As operações de fiscalização serão feitas por meio de fiscalização dos fiscais nas praças, nas ruas, e por meio de reclamações dos usuários”, esclarece o gerente de Planejamento e Transporte Público da Strans, Felipe Leal.

As ordens de serviço serão entregues com o roteiro que deverá ser seguido pelos ônibus cadastrados.


Leia mais: Motoristas e cobradores deflagram greve por tempo indeterminado nesta quinta (28)



Foto: Arquivo O Dia

Essa é uma alternativa para o transporte público de Teresina e de acordo com o Sindicato dos Proprietários Autônomos de Transportes Alternativos de Passageiros do Estado do Piauí (SINTRAPI), a paralisação deflagrada no último dia 21 continua enquanto as demandas da categoria não forem atendidas. A paralisação aconteceu depois que a Strans proibiu o uso de todas as máquinas de passar o cartão vale transporte e estudantil dos passageiros (ControlCIT) nos ônibus do transporte alternativo. 


Leia mais: Transporte alternativo de Teresina anuncia greve por tempo indeterminado 


Impasses 

Ainda não houve acordo do Setut com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro) e com o SINTRAPI. O Setut informou que somente irá negociar com os trabalhadores do transporte coletivo de Teresina em janeiro de 2022, data-base da categoria. Entretanto, o Sintetro pontua que não houve negociação em 2020 e 2021, portanto, a categoria busca as perdas dos anos anteriores.

A Prefeitura de Teresina fez um repasse ao Setut para regularização da folha de pagamento dos motoristas e cobradores do transporte público de Teresina. A atualização da folha de pagamento dos profissionais do setor depende também do repasse de todas as parcelas da entrada que a Prefeitura ficou de pagar aos empresários para quitar a dívida referente aos subsídios do transporte coletivo de Teresina. Essa entrada de R$ 10,5 milhões foi dividida em três vezes: R$4,5 milhões em outubro, R$3 milhões em novembro e R$3 milhões em dezembro. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário