Expansão da atuação Codevasf precisará de adaptação, avalia Marcelo Castro

O emedebista e os outros dois senadores piauienses votaram a favor da matéria, aprovada nesta quarta-feira (2)

03/12/2020 09:38h

Compartilhar no

O Senado aprovou, nesta quarta-feira (2), o Projeto de Lei que amplia a atuação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para todas as bacias de rios dos estados do Amazonas, Minas Gerais e Roraima. 

Apesar de ter votado favorável à ampliação da abrangência da CodevasfMarcelo Castro (MDB) pontuou a necessidade de adaptação, haja visto que o corpo técnico da empresa está preparado para lidar com a região do semiárido do Nordeste, e teria dificuldades para atuar em biomas diferentes. 

Marcelo Castro (Foto: Arquivo/Elias Fontenele/ODIA)

“Se você encontrar qualquer técnico da Codevasf, ele vai falar em irrigação em lugares onde não chove, em como vencer essas adversidades climáticas. Imaginem pegar um técnico e colocá-lo no Amazonas, onde chove três mil milímetros por ano. É evidente que isso é uma distorção”, argumentou o emedebista.

O senadores Ciro Nogueira (Progressistas) e Elmano Férrer (Progressistas) também votaram pela aprovação da ampliação da área de cobertura da Codevasf para estados de outras regiões do país, apesar deste último ter afirmado, em uma outra oportunidade, ser contra essa expansão

Marcelo Castro, Ciro Nogueira e Elmano Férrer (Foto: Arquivo/Elias Fontenele/ODIA)

O PL ainda será apreciado pela Câmara Federal. Apesar disso, o senador Bezerra Coelho (MDB), líder do governo na Casa, não garante que o presidente Jair Bolsonaro sancione a medida. Isso porque a Codevasf tem aumentado suas demandas ao se responsabilizar pela execução das políticas públicas do Ministério das Cidades, extinto no início da atual gestão.

O pernambucano lembrou destacou que a empresa não tem condições de assumir mais essas responsabilidades neste momento, mas ressaltou que se isso acontecer a pasta deverá passar por uma reformulação. A previsão é que o governo promova, a partir do ano que vem, uma discussão sobre os novos rumos da Codevasf, quando será decidido se ela terá como foco o desenvolvimento regional ou a conservação dos rios.

A companhia atualmente abrange a região Nordeste e os estados de Goiás e Amapá, além de algumas bacias nos estados de Minas Gerais, Pará, Mato Grosso e Tocantins e no Distrito Federal. Ela desenvolve projetos de irrigação para agricultura, a revitalização de bacias hidrográficas e a redução dos efeitos da estiagem por meio da oferta de água para consumo humano e animal nas regiões em que atua.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Breno Cavalcante, com informações da Agência Senado

Deixe seu comentário