Presos os acusados de matar filho do dono da Loja do Toureiro em Parnaíba

Polícia cumpre oito mandados de prisão em Parnaíba e Luís Correia. Operação também acontece em Pernambuco e Alagoas. Seis já foram presos.

14/04/2021 10:36h

Compartilhar no

A Polícia Civil do Piauí prendeu na manhã desta quarta-feira (14) os acusados de terem assassinado o empresário Janes Cavalcante de Castro, filho do dono da Casa do Toureiro em Parnaíba. O crime ocorreu em setembro de 2020 e o empresário foi morto após ser perseguido por seus executores. As prisões fazem parte da Operação Sicário deflagrada hoje no Piauí e em mais dois Estados (Pernambuco e Alagoas).


O empresário Janes Castro foi assassinado após ser perseguido pelos seus executores - Foto: Arquivo Pessoal

Ao todo, foram expedidos 20 mandados judiciais, sendo 11 de busca e apreensão e oito de prisão. No Piauí, as ações se concentraram nas cidades de Parnaíba e Luís Correia. Em Pernambuco, os mandados foram cumpridos em Pedra, Arcoverde e Venturosa. Já em Alagoas, a polícia atuou na cidade de Arapiraca.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil ainda não deu detalhes de como se deu a prisão dos acusados, mas seis pessoas já foram detidas aqui no Piauí por envolvimento na morte de Janes Castro. Além das prisões, a Operação Sicário visa também colher provas das participações dos autores imediatos e cúmplices que teriam prestado auxílio material para cometimento do crime. 

Pelo menos 60 policiais participaram da ação, que aqui no Piauí foi coordenada pela Delegacia de Homicídios, Tráfico e Latrocínio (DHTL) de Parnaíba. A Polícia Rodoviária Federal (PRF-PI) também deu apoio operacional.


Foto: Divulgação/´Polícia Civil

OAB havia pedido celeridade nas investigações

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Piauí (OAB-PI) havia pedido que a polícia desse celeridade nas investigações acerca da morte de Janes Cavalcante de Castro. É que além de empresário, ele também era advogado. A OAB havia pedido à Delegacia Geral de Polícia Civil do Piauí que transferisse o inquérito pra alguma delegacia especializada em Teresina, ou que fosse encaminhada ao litoral uma força tarefa a fim de dar uma resposta sobre o homicídio em tempo hábil.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário