Mulher morre ao cair tentando fugir de tiroteio no bairro Santo Antônio

Lidiane de Paiva Brasil caiu, bateu o rosto no chão e teve um afundamento craniano. Ela foi socorrida, mas não resistiu.

16/09/2021 11:20h - Atualizado em 16/09/2021 11:53h

Compartilhar no

Uma simples ida à padaria se tornou uma tragédia na zona Sul de Teresina. Uma mulher de nome Lidiane de Paiva Brasil, 28 anos, morreu ao tentar escapar de um tiroteio ocorrido no bairro Santo Antônio, região do Grande Promorar. Mas Lidiane não foi atingida pelos tiros: ela correu, acabou tropeçando e, ao cair, bateu o rosto no chão e teve um afundamento craniano.


Leia também: Adolescente de 14 anos é assassinado com sete tiros na zona Sul de Teresina 


O fato ocorreu por volta das 8h da manhã desta quinta-feira (16) na Rua Boiadeiro. Lidiane chegou a ser socorrida pelos familiares e populares, que a levaram às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Promorar. Apesar do socorro, a mulher não resistiu aos ferimentos e faleceu.


Lidiane foi levada para UPA do Promorar, mas não resistiu e faleceu - Foto: Assus Fernandes/O Dia

Quem dá mais detalhes é o capitão Sousa Lima, comandante da 2ª Cia de Policiamento do Promorar. “Os médicos passaram em torno de 40 minutos tentando reanimá-la, mas infelizmente não conseguiram. Correu até uma informação de que ela estava grávida, mas a irmã dela negou e os próprios médicos confirmaram que não. Estamos agora trabalhando de duas a maneiras: a primeira, preventiva, aumentando a quantidade de viaturas no local; e a segunda, fazendo o levantamento de informações”, explicou o comandante.


O capitão Sousa Lima é comandante da Companhia do Promorar e dá detalhes da ação - Foto: Assis Fernandes/O Dia

A Polícia Militar está averiguando a origem dos tiros que assustaram Lidiane e culminaram em sua morte. O capitão Sousa Lima lembra que há registros de criminosos residindo no bairro Santo Antônio, alguns deles inclusive integrantes de facções criminosas, e que na semana passada foram feitas prisões no bairro. “Estamos vendo se isso tem relação e levantando se foi uma briga de gangues, de facções ou traficantes”, finaliza o capitão.

Qualquer informação ou denúncia relacionada a este caso ou a outras ocorrências pode ser feita diretamente ao Comando da Companhia do Promorar através do número 86 98851-2054, que fica com o comandante da unidade. O celular recebe tanto ligações quanto mensagens por WhatsApp e a polícia garante total sigilo sobre o denunciante.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário