Caso Firmino Filho: processo corre em segredo de justiça, diz delegado

Hoje faz um mês da morte do ex-prefeito. Polícia concluiu o inquérito com relatório de mais de 500 páginas e já remeteu ao Poder Judiciário.

06/05/2021 08:22h - Atualizado em 06/05/2021 08:47h

Compartilhar no

O processo de investigação acerca da morte do ex-prefeito Firmino Filho corre em segredo de justiça, segundo informou o delegado Francisco Baretta, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Em entrevista a uma emissora de TV local, ele informou que o inquérito já foi concluído e remetido ao Poder Judiciário, que vai analisá-lo.


O ex-prefeito Firmino foi encontrado morto no dia 06 de abril - Foto: Jailson Soares/O Dia

Hoje completa exato um mês da morte do ex-prefeito de Teresina. Firmino foi encontrado morto em frente ao edifício Manhattan River, zona Leste da capital, na tarde do dia 06 de abril. A polícia não deu detalhes do resultado da investigação acerca do ocorrido, mas disse que o fato já foi devidamente esclarecido sem nenhuma dúvida restante sobre o que aconteceu.

“Todas as diligências necessárias para esclarecer as circunstâncias daquela ocorrência foram efetivadas. O laudo foi todo concluído, estão nos autos os exames periciais e também oitivas de pessoas testemunhais que se harmonizam em toda sua plenitude, o que deixa muito claro o fato. O relatório é muito objetivo sem nenhuma bruma, sem cabimento para suposições.”, diz o delegado Baretta. 


Coordenador da Delegacia de Homicídios, delegado Francisco Baretta - Foto: O Dia

Segundo ele, o relatório de investigação remetido ao Poder Judiciário tem mais de 500 páginas.

O delegado explica que não se pode adentrar ao mérito do inquérito policial, porque no decorrer da investigação, o delegado Divanilson Sena, que presidiu a investigação, fez uma representação por medida cautelar, o que levou a justiça a decretar o sigilo do processo. “É por força de uma decisão judicial, mas quero afirmar para a sociedade piauiense que o inquérito policial não deixa nenhuma dúvida sobre a natureza jurídica do fato em si”, pontua Baretta.

No dia seguinte à morte de Firmino Filho, a polícia abriu o processo investigativo, ouvindo testemunhas, pessoas que estiveram com o ex-prefeito momentos antes do acontecido e analisando câmeras do circuito interno do Tribunal de Contas da União (TCU) onde ele trabalhava e que registraram seus últimos momentos de vida.

O relatório de investigação já está nas mãos do Poder Judiciário e, a partir do veredito do juiz, ele poderá abrir vistas ao Ministério Público, que fará sua manifestação.

Em homenagem ao ex-prefeito Firmino neste um mês de sua morte, a família anunciou a realização de uma missa na Igreja Nossa Senhora das Candeias, no bairro Morros, com transmissão online no Youtube da Área Pastoral São Paulo VI.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário