Vereadores de Campo Maior aprovam CPI para investigar recursos do Fundef

O autor da proposta justificou que R$ 1,8 milhões foram sacados das contas, mesmo o recurso estando bloqueado

05/05/2021 17:50h

Compartilhar no

Saques suspeitos dos precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef) em Campo Maior serão investigados por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Vereadores. O procedimento foi aprovado pelo plenário da Casa por unanimidade em sessão realizada na última terça-feira (4). 


Leia tambémCom ampla maioria, Câmara aprova instalação da CPI do transporte público 


Autor da proposta, o vereador Neto dos Corredores, explicou que o município recebeu R$ 18 milhões de precatórios, mas apenas 40% foi liberado após a aprovação de um plano de aplicação. O restante 60% permaneceu bloqueado, porém, R$ 1,8 minhão foi retirado das contas sem comunicação ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) ou ao Poder Legislativo municipal. 

Foto: Divulgação / Câmara de Campo Maior 

“Há suspeitas de que quase R$ 2 milhões dos precatórios sumiram das contas antes da transição entre as gestões em dezembro do ano passado. Diante dessa suspeita, a Câmara tem como obrigação investigar. São recursos do povo que devem ser perseguidos para serem trazido para ser aplicado onde deveria ser. A Câmara não pode ficar omissa em investigar esse gravíssimo fato”, disse o vereador. 

Segundo o Regimento Interno da Câmara de Campo Maior, a CPI terá 90 dias de atuação e deverá ouvir testemunhas, juntar documentos e realizar consultas aos órgãos de controle. Em caso de necessidade, os trabalhos podem ser prorrogados por mais 60 dias se aprovados pelo plenário. 

A Casa aprovou na mesma sessão os nomes dos vereadores Miszarleia Almeida, Geraldo Paz, Neto dos Corredores, Antônio Neto, Zacarias Neto como membros da CPI. Na primeira sessão,  serão escolhidos presidente, relator e secretário da Comissão. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário