Tartarugas do Delta: Instituto identifica 98 ninhos na temporada de desova

Só no ano passado, mais de 12 mil tartarugas nasceram no litoral do Piauí.

01/04/2021 14:38h

Compartilhar no

A temporada de desova de tartarugas marinhas no litoral piauiense registrou, até o momento, 98 ninhos. Mesmo com muitas dificuldades enfrentadas devido à pandemia pelo novo coronavírus, os trabalhos de manejo e conservação realizados pelo Instituto Tartarugas do Delta têm ocorrido na região da APA Delta do Parnaíba.

As praias de registro de ninho foram: praia da Pedra do Sal (Parnaíba), praia do Peito de Moça, Barro Preto, Coqueiro, Itaqui, Arrombado e Maramar (Luís Correia).


Leia também: Mais de 70 filhotes de tartaruga-de-pente nascem na praia do Arrombado; veja vídeo 


“Até o momento registramos a liberação de mais de 2.300 filhotes de Tartarugas-de-Pente ao mar. Algumas pessoas questionam se a pandemia ajuda a natureza, se melhora os trabalhos de conservação com tartarugas marinhas. Não temos esse entendimento formatado”, disse Werlanne Magalhães, coordenadora do Instituto.

(Fotos: Divulgação/Instituto Tartarugas do Delta)

Os ninhos foram protegidos com estacas e sinalizados com uma bandeira azul, com informações sobre o Instituto. As tartarugas costumam fazer a desova durante a noite. Os ovos são enterrados de 60 cm a um metro de profundidade. Após serem enterrados, os ovos demoram 60 dias para gerarem os filhotes. Só no ano passado, mais de 12 mil tartarugas nasceram no litoral do Piauí.

“Na temporada passada, não conseguimos proteger todos os ninhos, pois foram confeccionados em área de risco - inundados, perdido pela ação da maré, próximo a barrancos. Acreditamos que seja necessário os trabalhos de monitoramento para ajudar os filhotes que não conseguem chegar até o mar e transferir os ninhos confeccionados em áreas de riscos”, explicou.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações: Portal do Catita

Deixe seu comentário