• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Estudando do PI vence 26 mil competidores na maratona da IBM

Jefferson Henrique, de 27 anos, é natural de Teresina e formado pelo IFPI, além de possuir mestrado pela UFPI.

06/09/2019 11:42h - Atualizado em 06/09/2019 18:14h

Um piauiense foi um dos vencedores da maratona Behind The Code, competição de programação organizada pela IBM, empresa dos Estados Unidos voltada para a área de informática. O programador Jefferson Henrique Camelo Soares, 27 anos, é de Teresina e competiu com mais de 26 mil competidores de todo o Brasil. 


Leia também:

Em pânico, passageiros rezam após avião fazer pouso de emergência 


Como prêmio, ele e mais quatro programadores ganharam viagens para o IBM Watson Experience Center, em São Francisco (EUA), onde terão uma semana de imersão para desenvolverem habilidades e estarem em contato com tecnologias de ponta.

Em entrevista ao O DIA, o piauiense conta que foi um misto de felicidade e alívio ver o seu nome entre os cinco vencedores da competição. "Foi um momento de bastante felicidade e alívio, visto que o resultado do desafio final estava sendo computado em tempo real", explica.

Jefferson é graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Instituto Federal do Piauí (IFPI) e tem mestrado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). 

Jefferson Henrique aparece na foto de boné (Foto: Arquivo Pessoal)

O piauiense começou a trabalhar na área desde cedo, com estágio em paralelo à graduação, graças a uma oportunidade de aprendizado que uma empresa local proporcionou.

Jefferson e os outros ganhadores estiveram entre os cem finalistas da competição, que passaram o fim de semana na Praia do Forte, na Bahia, onde participaram da grande final, que aconteceu no evento IT Forum+.

 A seleção dos vencedores foi baseada no tempo e na qualidade dos códigos, cuja taxa de assertividade mínima foi de 80%.

"Eram vários desafios, com diferentes tecnologias, para cada um desses desafios foi estudado o material disponibilizado pela própria organização. A oportunidade de participar do evento surgiu por meio de um aplicativo, quando recebi um link patrocinado a respeito da maratona", relata o programador.

Segundo Jefferson Henrique, a torcida era enorme para ganhar a competição, mas a ficha demorou a cair.

 "No fundo eu torcia para chegar até a final, e conseguir a viagem para os EUA, mas no momento não caiu a ficha que tinha realmente conseguido alcançar esse objetivo", destaca. 

A competição de codificação, que começou no dia 6 de julho, teve como foco o desenvolvimento de tecnologias disruptivas como AI, IoT, Blockchain e Kubernetes, entre outras, a partir de nove desafios. 

A partir disso, os programadores puderam criar sistemas para validação digital de diplomas, auxiliar investidores, ensinar inglês ou matemática e até mediação judicial.


Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário