Paralisação dos ônibus: Robert Rios pede estorno de R$600 mil transferidos para o SETUT

O acordo foi realizado em reunião com trabalhadores do transporte coletivo de Teresina e empresários do setor nesta segunda-feira,25, mas os motoristas ainda não retornaram ao trabalho.

26/01/2021 11:41h - Atualizado em 26/01/2021 12:42h

Compartilhar no

Na manhã desta terça-feira, 26, o Secretário de Finanças, Robert Rios , afirmou que vai pedir estorno dos R$ 600 mil que a Prefeitura Municipal de Teresina pagou para setor de transporte coletivo , após um acordo com SETUT (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina). A decisão ocorreu após os ônibus não retornaram ao funcionamento, e os trabalhadores continuarem em manifestação.

“O município está fazendo um enorme sacrifício para contornar este problema entre empresários e empregados da empresa, o que não tem nada a ver com a prefeitura, e se nossa ajuda não foi o suficiente para sanar o problema, esse dinheiro precisa de um estorno”, explica Robert Rios.

O acordo foi realizado em reunião com trabalhadores do transporte coletivo de Teresina e empresários do setor, o prefeito Dr. Pessoa  (MDB) assumiu o compromisso de pagar os tickets de alimentação e o plano de saúde aos motoristas e cobradores.  

“O prefeito resolveu pagar o ticket de alimentação para que eles possam retornar ao trabalho. Existe um interesse da parte deles em relação ao dissidio coletivo, mas isso eles vão procurar a assessoria jurídica dele para que se resolvam”, disse Cláudio Pessoa, Superintendente da Strans, que esteve presente na reunião.


Paralisação dos ônibus: Robert Rios pede estorno de R$600 mil transferidos para o SETUT. Foto: Assis Fernandes

Entenda

Todos os ônibus coletivos de Teresina pararam de circular  por volta das 5h desta segunda-feira (25). A ação faz parte do protesto da categoria, que cobra o pagamento dos Tickets alimentação e do plano de saúde aos trabalhadores rodoviários, que estaria em atraso. 

O outro lado

O SETUT informou ao PortalODia.com, que o repasse foi realizado pela prefeitura de Teresina. Contudo, mas ainda não foram liberados para repasses.

 “O executivo municipal pediu para que o mesmo ainda não seja disponibilizado aos motoristas, tendo em vista que a quebra de acordo entre Sintetro e a prefeitura feito em outubro de 2020 previa seu cancelamento em caso de descumprimento e manutenção do movimento de paralisação ou greve da categoria”, conclui.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário