• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Em audiência, produtores irão cobrar parecer para PPP da 'estrada da soja'

Audiência nesta quinta na Alepi deverá tratar de reivindicações dos produtores de soja do sul do Piauí. Associação quer PPP com governo para terminar estrada.

09/10/2019 16:21h - Atualizado em 11/10/2019 15:04h

Nesta quinta-feira (10) os produtores de soja do Piauí irão participar de uma audiência pública com deputados e representantes da iniciativa privada sobre suas demandas para o setor. Concentrado principalmente na região sul do estado, o cerrado que compreende a região produtora de soja ainda enfrenta dificuldades estruturais, que serão expostas nessa reunião.


De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja), Alzir Neto, as duas questões mais urgentes enfrentadas pelos produtores são a falta de infraestrutura (principalmente estradas) e a insegurança com relação a questão fundiária, onde muitas propriedades ainda são alvo de especuladores que invadam em praticam fraudes, como a grilagem de terras.

Os produtores irão dialogar com a frente parlamentar da agropecuária  e esperam ter avanços nas solicitações já feitas. Esta é a primeira reunião da nova frente parlamentar com os produtores.

“É mais pra gente trazer as nossas demandas mostrar nossa realidade e que a casa se sensibilize e entenda a realidade de cada qual e possa propor melhorias como é o caso na parte de infraestrutura, regularização fundiária e tantas outras demandas também”, afirma Alzir.

Um dos pontos que devem ser abordados diz respeito a construção da PI-392, batizada pelos produtores como ‘a estrada da soja’. Segundo Alzir, a rota, que corta em grande parte o município de Baixa Grande do Ribeiro, já teve ordem de serviço assinada, recursos empenhados e até hoje encontra-se em sua totalidade na piçarra. 


Alzir Neto, presidente da Aprosoja, fala sobre reivindicações que serão feitas aos deputados.(Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Pela via é escoado 1/3 da produção de grãos do estado, cerca de 41 mil carretas de 7 eixos por ano. Para o trecho, os produtores chagaram até a propor fazer um convênio com o estado, para que arcassem com a metade dos custos e a execução da obra. O modelo de parceria já é comum em outros estados, como Mato Grosso e Paraíba.

“Conseguimos rebanhar um número de empresários que tem interesse e fomos para o governo com a proposta . [...] Acredito que agora é uma questão de formalidades, nós estamos aguardando esse parecer da PGE, aguardando o levantamento da Dra. Viviane Moura, que acreditamos que nos próximos 15 dias saia para nós vermos a forma de implementar isso aí”, diz o presidente da Aprosoja, Alzir Neto.

Na questão fundiária, os produtores querem ações mais enérgicas do governo a fim de afastar especuladores, que muitas vezes se utilizam de fraudes para se apossar de terras que já tem donos ou são devolutas. 

“A proposta que nós levamos ao governo é que sobretudo proteja quem na terra produz, quem na terra está de boa-fé, gera riquezas, contribui com a sociedade, paga seus impostos e afaste o especulador e afaste essa figura que macula a imagem do produtor rural”, destaca.

Participam do encontro desta quinta-feira representantes do Executivo, Judiciário, Câmara Setorial do Agronegócio e Associação dos Produtores de Soja do Piauí.

Por: Rodrigo Antunes

Deixe seu comentário