• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Em 48 horas, três praias são consideradas impróprias no Piauí

Além de Atalaia, as praias de Peito de Moça e Pedra do Sal também entraram na lista da Semar

16/11/2019 16:39h - Atualizado em 17/11/2019 16:46h

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar) decretou que mais duas praias do litoral piauiense estão impróprias para banho após o surgimento de manchas de óleo. O órgão emitiu um comunicado alertando que as praias Peito de Moça, em Luís Correia, e Pedra do Sal, no município de Parnaíba, devem ser evitadas pelos banhistas.  As demais praias permanecem liberadas.

Com isso, sobe para três o número de praias impróprias para banho. Na quinta-feira (14) a Praia de Atalaia foi a primeira a ser considerada não adequada  após banhistas e a Capitania dos Portos detectarem manchas de óleo na areia e as águas. As praias já receberam sinalização da Semar informando os banhistas que as áreas devem ser evitadas.

Renato Nogueira, gerente de Fiscalização da Semar esclarece que as equipes de monitoramento detectaram a presença de manchas de óleo na água e, diante Resolução Conama 274/2000, Art. 2º, § 4º e Art. 3º § 1º, que visa prevenir a saúde do banhista, foi determinado que as praias em questão estariam impróprias para banho.

“Salientamos que não se trata de uma interdição da praia. É um status em que a água de apresenta imprópria para banho. Alguns banhistas talvez não apresentem alguns sintomas, como vermelhidão, coceira, escamação e urticária em contato com a pele. Se ingerido, pode provocar náusea, dor de cabeça e irritação no organismo”, cita, contudo, é importante não ter contato com o resíduo.

(Foto: Ascom Semar)

Quem teve contato com o óleo e apresentou algum sintoma, deve procurar um posto de saúde. Se a mancha tiver contato com a pele, o local deve ser limpo com óleo vegetal, água e sabão.

O gerente de Fiscalização da Semar pontua que as águas estão contaminadas, mas ainda não é possível determinar o nível dessa contaminação, por isso todas as praias continuarão sendo monitoradas.

“As manchas de óleo que apareceram neste final de semana se apresentam diferente das que apareceram no final de setembro, que eram compactas. Elas foram depositadas na praia e tiveram seu recolhimento feito. Dessa vez o material veio fragmentado, diluído e flutuante na água, o que nos preocupou bastante. O mar está contaminado, então afirmar que não há problemas é muito precoce. Existe sim um risco muito alto e ainda não sabemos avaliar esse risco”, enfatiza Renato Nogueira.

Óleo chega ao Delta do Parnaíba

O capitão dos Portos, comandante Dante Duarte explica que, além das praias de Atalaia, Peito de Moça e Pedra do Sal, também foi registrada a presença do óleo nas ilhas do Caju, do Passeio, Barra da Melancieira e Ilha dos Poldros, que integram o Delta do Parnaíba.

“Estamos com várias frentes abertas nas praias de Atalaia, Pedra do Sal, Peito de Moça, Pontal, e uma equipe que foi por embarcação acessando a área do Delta. As equipes ainda estão em campo, tanto da Capitania dos Porto do Maranhão como do Piauí. Também acabou de chegar um contingente de militares do Exército para atuar aqui e eu estou aguardo o resultado do pessoal que foi por terra para saber como está a situação, pois eles estão fazendo o monitoramento e a limpeza. Uma aeronave sobrevoou e detectou a presença do óleo na Ilha do Caju, Ilha do Passeio, Barra da Melancieira e Ilha dos Poldros”, pontua.


Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário