Em 2020, Piauí teve a menor taxa de nascimentos e a maior taxa de óbitos da década

Dados do IBGE revelam que mais de 20 mil piauienses perderam a vida no ano passado e que mais de 40 mil nasceram. Homem e idosos foram os que mais morreram.

18/11/2021 11:52h

Compartilhar no

O crescimento da população piauiense deu uma desacelerada durante o primeiro ano da pandemia de covid-19. É que além da taxa de óbitos ter sido a maior dos últimos dez anos, a taxa de nascimento seguiu na contramão e foi a menor já registrada na década. Os dados divulgados hoje (18) pelo IBGE revelam que em 2020, o Piauí registrou 43.063 nascimentos, uma média 7,3% menor em relação a 2019, quando no Estado nasceram 46.457 pessoas.


Leia também: Óbitos por covid no Piauí voltam a aumentar após cinco meses em queda 


Ao longo da última década, o ano em que o Piauí mais contabilizou nascimentos foi o de 2017, quando nasceram no Estado 47.953 pessoas. De lá para cá, essa taxa decaiu para 46.647 até chegar aos poucos mais de 43.083 nascimentos de 2020.

Essa queda nos nascimentos no Piauí seguiu a tendência brasileira. De acordo com o IBGE, em todo o país também houve diminuição na quantidade de nascidos registrados em 2020. A redução foi de 4,7% em relação a 2019. Em comparação com o início da década, em 2010, a queda foi de 2,7%. No entanto a maior redução dos últimos dez anos no Brasil ocorreu entre 2015 e 2016, quando o número de nascimento reduziu 5,1%.

Em números absolutos, o país teve 2,67 milhões de nascimentos em 2020. Já no ano anterior, 2019, a quantidade foi de 2,80 milhões. Em 2010, a pesquisa aponta que 2,74 milhões de pessoas nasceram no Brasil.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Pandemia fez número de óbitos ser o maior da década

Em 2020, o Piauí registrou um recorde preocupante: a quantidade de óbitos foi a maior da última década. Os dados do IBGE apontam que o estado teve aumento de 12,5% na quantidade de mortes em relação a 2019. Esse fenômeno foi atribuído à pandemia de covid-19, que já matou mais de 7 mil piauienses em quase dois anos. No ano passado, 20.749 piauienses perderam a vida. Em comparação com 2019, foram 2.313 óbitos a mais. No ano retrasado, O Piauí registrou 18.437 mortes. 

De 2010 a 2019, o estado teve crescimento médio anual de 3,2% no número de óbitos. Com a inclusão dos dados de 2020, a média de aumento subiu para 4,2% ao ano.


Leia também: No Piauí, 3.693 mil famílias atendidas pelo Bolsa Família não receberão Auxílio Brasil 


Assim como aconteceu com a média de nascimentos, a média de óbitos no Piauí em 2020 seguiu a tendência nacional frente à pandemia. O Brasil teve aumento de 14,9% na quantidade de óbitos entre 2019 e 2020, o que significa 196 mil mortes a mais que em 2020. Com isso, a média anual de mortes do país subiu de 1,8% para 3,1%.

Mesmo com mais de 7 mil piauienses tendo perdido a vida para o coronavírus, o que puxou o número de mortes para cima em 2020, o Piauí se manteve como o quatro menor aumento do país, ficando à frente dos estados do Paraná (10,6%), Santa Catarina (9,5%), Minas Gerais (7,9%) e Rio Grande do Sul (4%). O Amazonas registrou a maior variação, com crescimento de 32%.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Homens e idosos foram os que mais morreram no Piauí em 2020

Os dados do IBGE revelam ainda o perfil das pessoas que perderam a vida no Piauí no ano passado. Em 2020, cerca de 58,4% dos falecidos eram do sexo masculino e 41,6% do sexo feminino. A maior parcela de óbitos ocorreu entre pessoas com idade de 80 a 84 anos, com 2.567 registros, o que representa 12,3% do total de mortes. O maior pico de mortes do estado ocorreu no mês de julho, com 2.064 ocorrências, o equivalente a 10,3% do total de óbitos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário