• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Crimes de homicídio cresceram no interior do Piauí em 2019

O anuário concluiu ainda que mais da metade (51,15%) dos homicídios do interior estão concentrados em apenas 18 municípios

13/01/2020 15:55h - Atualizado em 13/01/2020 16:19h

Números divulgados nesta segunda-feira (13) pela Secretaria de Segurança, no Anuário de Segurança Pública do Piauí, apontam crescimento dos crimes de homicídio no interior do Estado.

Em 2018, a soma de Mortes Violentas Intencionais (MVIS) no interior foi de 298 casos. Em 2019, os registros saltaram para 348, o que representa uma evolução de 16,77%.

O anuário concluiu ainda que mais da metade (51,15%) dos homicídios do interior estão concentrados em apenas 18 municípios. No ranking, 13 cidades estão localizadas na região Norte, enquanto 5 estão no Sul.

Parnaíba registrou 28 crimes em 2019 e é considerada a cidade mais violenta. Em seguida aparecem Piripiri (20), Cocal (13), Esperantina (12) e Picos (12).

Fonte: Anuário da Segurança Pública do Piauí


Crimes diminuem em Teresina

Por outro lado, Teresina registrou diminuição de homicídios no mesmo período. A quantidade caiu 25,31%. Já entre 2014 e 2019, os crimes foram reduzidos em 45,74%.


Leia também: 

Em Teresina, homicídios reduziram quase pela metade em cinco anos 


A queda das mortes na Capital fez com que os números absolutos em todo o Estado apresentassem redução. Segundo o anuário, a redução entre 2018 e 2019 foi de 5,14%, enquanto entre 2014 e 2019 foi de 19,94%.


Cresce a quantidade de feminicídio

O Piauí ficou mais perigoso para o gênero feminino em 2019. Isso porque cresceu os casos de feminicídio. Foram 54 casos registrados, o que representa um aumento de 7,69% em comparação com o ano anterior.


Leia também

Número de feminicídios volta a crescer no Piauí, mostra Anuário 


Em Teresina, contudo, houve grande redução nos números. A queda alcançou 45% em comparação com 2018. Ao nove, nove vidas de mulheres foram poupadas segundo o relatório da Secretaria de Segurança.  

Por: Otávio Neto

Deixe seu comentário