Covid: Renda do Piauiense caiu R$ 168,00 durante o mês de julho

Em um mês de julho normal fora do cenário de pandemia, o piauiense recebia em media R$ 1.709,00. Este ano, o rendimento médio caiu para R$ 1.618,00.

21/09/2020 12:05h - Atualizado em 21/09/2020 15:16h

Compartilhar no

O trabalhador piauiense recebeu R$ 168,00 a menos em seu salário durante o último mês de julho. É isto o que aponta o painel PNAD Covid-19 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), que reúne dados sobre a população vulnerável, renda e acompanhamento pelos sistemas de saúde nos estado e municípios durante a pandemia do novo coronavírus.

Leia também: Pandemia de Coronavírus afeta economia local

De acordo com os dados, nos meses de julho em um cenário normal (sem pandemia ou crise econômica), o salário médio do trabalhador piauiense é de R$ 1709,00. No entanto por conta da crise sanitária causada pela pandemia, o impedimento de diversos setores econômicos de funcionar em sua plenitude e, em alguns casos, do fechamento total de alguns segmentos, o salário médio do piauiense reduziu para R$ 1.541,00. O encolhimento salarial foi de R$ 168,00.

No ranking dos estados do Nordeste, o Piauí foi o que apresentou a terceira menor redução salarial, conforme apontam os dados do IBGE. A maior perda salarial foi identificada no Estado de Sergipe, onde os profissionais recebiam uma média de R$ 1.818,00 nos meses de julho fora da situação de pandemia, mas que no mês deste ano receberam R$ 1.524,00. O encolhimento salarial para os trabalhadores sergipanos foi de R$ 294,00.


Foto: O Dia

Foi no Estado do Maranhão onde se registrou a menor perda salarial no mês de julho: de R$ 1.442,00 geralmente ganhos pelo trabalhador maranhense em meses sem situação de pandemia, o ganho em julho passado ficou na casa dos R$ 1.290, uma perda de R$ 152,00 nos rendimentos. 

Vale lembrar, no entanto, que a menor perda salarial não significa menor impacto da crise econômica causada pela covid-19. No caso do Maranhão, por exemplo, o rendimento mensal em meses sem pandemia já era o menor do país, segundo os dados do IBGE. Com a crise, a situação apenas se agravou. Do mesmo jeito foi aqui no Piauí, onde a média salarial normal é a quinta menor do Brasil. Ela segue sendo a quinta menor, mesmo com a perda nos rendimentos médios mensais dos trabalhadores.

Situação em território nacional

A crise não é isolada, mas se faz presente em todo o Brasil e a nível de mundo. De acordo com o IBGE, o rendimento médio real efetivamente recebido pelo brasileiro por todos os trabalhos desempenhados foi de R$ 2.077,00 em julho deste ano em meio ao cenário de pandemia. Para efeito de comparação, o rendimento médio real normalmente recebido de todos os trabalhos desempenhados, ou seja, a média real fora do cenário de pandemia é de R$ 2.377. A perda salarial dos trabalhos em julho com a crise da covid-19 foi de R$ 300,00.

No país, 24,1 milhões de pessoas ocupadas tiveram rendimento efetivamente recebido do trabalho menor que o normalmente recebido. Em todo o país já possuíam 3,6 milhões de pessoas afastadas do trabalho devido ao distanciamento social conforme os dados coletados entre 23 e 29 de agosto e há pelo menos 8,3 milhões de pessoas em trabalho remoto no Brasil no mesmo período. Em 44,1% dos domicílios brasileiros há pessoas recebendo auxílio emergencial.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário