Covid-19: Projeto inclui gestantes no grupo prioritário de vacinação no Piauí

O projeto de autoria do deputado Francisco Costa, líder do Governo na Alepi, deverá ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça.

15/04/2021 09:32h

Compartilhar no

Foi apresentado na última terça-feira (13), em sessão virtual da Assembleia Legislativa do Piauí, um projeto de lei que inclui grávidas, puérperas e lactantes no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19 no Piauí. O projeto de autoria do deputado Francisco Costa, líder do Governo na Alepi, deverá ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça.

De acordo com o deputado, a proposta visa reduzir os riscos de contaminação para este grupo que é considerado de risco. "O objetivo é reduzir os riscos e prevenir a mortalidade materna e infantil no Piauí", justifica.

Foto: Arquivo O Dia

O deputado, que também é médico, citou estudos que comprovam grande risco de complicações obstétricas e para os bebês quando infectados pelo vírus, aumentando a probabilidade de mortes maternas e infantis, partos prematuros e abortamentos. Um projeto semelhante, de autoria da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), também tramita no Senado Federal.
Em 2020, no Piauí, 875 gestantes foram diagnosticadas com covid-19. No ano passado, foram registradas 34 mortes maternas no estado, sendo seis causadas por Covid. Em 2021, dos sete óbitos maternos já ocorridos, um foi causado pela doença.
Segundo o parlamentar piauiense, um estudo publicado no The British Medical Journal (BMJ) - que traz dados de 192 estudos mundiais, incluindo cinco do Brasil -, de dezembro de 2019 a outubro do ano passado, uma em cada 10 gestantes atendidas em hospitais por qualquer motivo testou positivo para a Covid-19. Além disso, estudos indicam que, entre 8 a 11% das gestantes, puérperas e lactantes infectadas vão necessitar de hospitalização, e cerca de 2 a 5% vão precisar de terapia intensiva e correrão risco de morte. O perigo é ainda maior quando a gestante tem alguma comorbidade, como hipertensão, diabetes e obesidade.

O deputado também mencionou uma nota técnica do Ministério da Saúde, referente à administração da vacina contra Covid-19 em gestantes, puérperas e lactantes, na qual o Ministério recomenda “a vacinação de gestantes que possuam alguma comorbidade preexistente, descritas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19: portadoras de diabetes, hipertensão arterial crônica, obesidade (IMC30), doença cardiovascular, asma brônquica, imunossuprimidas, transplantadas, doenças renais crônicas e doenças autoimunes”; e também que “a vacina pode ser oferecida para gestantes sem comorbidades após avaliação dos riscos e benefícios, principalmente em relação às atividades desenvolvidas pela mulher”.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Com informações da Alepi.

Deixe seu comentário