Covid-19: Indústria do Piauí nega paralisação em caso de segunda onda

A declaração é do Centro das Indústrias do Estado do Piauí (CIEPI) diante da expectativa de novas restrições no estado

26/01/2021 15:31h - Atualizado em 26/01/2021 16:20h

Compartilhar no

O setor da indústria no Piauí descartou a possibilidade de paralisação das atividades em caso de uma segunda onda da pandemia do novo coronavírus no estado. A declaração é do Centro das Indústrias do Estado do Piauí (CIEPI) diante da expectativa de um decreto do governo estadual que deve restringir o funcionamento de diversos setores por conta do aumento de casos da Covid-19 e da taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) . 

Segundo o presidente do CIEPI, Andrade Junior, a indústria do Piauí teve sucesso na aplicação do plano de segurança contra o novo coronavírus quando a retomada do setor foi autorizado. Ele defende que as medidas preventivas devem ser mantidas para evitar o avanço da doença e que as empresa devem seguir atuando.


Leia também: Vacinação no Piauí: 40 cidades já zeraram o estoque de vacinas da Coronavac 


"Quando propomos para a prefeitura e ao governo do Estado a volta das atividades industriais em meados de maio de 2020, nós tínhamos um plano e esse planejamento se configurou eficaz na utilização após o nosso retorno. Eu acho que devemos sim manter o distanciamento social, a higienização correta das mãos, evitar aglomerações e com certeza esse é um pedido que eu faço a toda sociedade piauiense, para que não voltemos ao cenário caótico da pandemia e aos transtornos de parar empresas, de perder empregos, e que inclusive, estamos recuperando a oportunidade de empregos agora. Então não tenho dúvidas de que podemos continuar com as indústrias trabalhando e mantendo esse vírus longe dos trabalhadores e empresas", disse Andrade Junior. 

Andrade Junior (Foto: Arquivo / O Dia)

Expectativa positiva 

A expectativa do setor na 2021 são das melhores. Dados da Sondagem Industrial realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que o otimismo da indústria do Piauí é de 56,7%, percentual superior do registrado do Nordeste, que é de 44,4%.

Andrade Junior explica ainda que a projeção para esse ano é de crescimento entorno de 3,5% do setor no estado e que é preciso manter a recuperação de empregos e o crescimento da economia. Ele afirma que o momento é de trabalho e não de restrição na indústria. 

“No ano passado tivemos um PIB negativo que deverá fechar próximo de 4% e a nossa indústria já prevê uma estimativa positiva, em torno de 3,5% para 2021. Então nós cremos em um ano muito virtuoso com recuperação dos empregos que perdemos no ano passado, geração de renda e sem dúvidas da volta do crescimento econômico. Quero dizer ao industrial piauiense e aos empresários que arregacemos as mangas, agora é a hora de colocar os planos em prática e vamos crescer ", finalizou. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário