Agespisa identifica desvios em adutora e polícia é acionada; quatro são presos

Ligações clandestinas abasteciam tanques de peixes, bebedouros de animais, irrigação de capim e até uma granja.

28/09/2020 11:29h

Compartilhar no

A Agespisa identificou pelo menos 13 ligações clandestinas para abastecimento de água feitos junto à Adutora de Piaus, no Sul do Piauí, durante operações realizada no final de semana. Destes, sete são desvios de grande porte no trecho entre as cidades de Fronteiras e Pio IX. Para poder desfazer as ligações irregulares, a entidade teve que acionar força policial.

Leia também: Ligações clandestinas de água prejudicam moradores

A ação, segundo a Agespisa, se configura como roubo de água. As ligações clandestinas foram detectadas em tubulações de 25, 32 e 60 milímetros e foram feitas diretamente na adutora, que abastece as cidades de São Julião, Campo Grande do Piauí, Vila Nova do Piauí, Fronteiras e Pio IX e se estende por 111 quilômetros.

Quatro pessoas acabaram sendo presas durante a operação. De acordo com a Agespisa, a água desviada estava sendo utilizada pala abastecimento de tanques de peixes, bebedouros para animais, irrigação de capim, barreiros e ainda uma granja. 

“É um trabalho arriscado, mas essencial para melhorar o abastecimento de água. Em São Julião, recebemos ameaças durante os trabalhos de eliminação das ligações irregulares. Em Pio IX, encontramos, inclusive, bomba de água no esquema de desvio para um açude”, informa o gerente da Unidade de Negócios de Picos, Francisco das Chagas Ferreira Sobrinho.

Vale lembrar que as ligações clandestinas acabam por sobrecarregar o sistema de abastecimento prejudicando a qualidade do serviço prestado e onerando o preço pago pelo serviço por aqueles consumidores adimplentes. Fazer ligações clandestinas e irregulares na rede de abastecimento é uma prática considerada crime segundo o Código Penal Brasileiro. A pena para quem for pego roubando água pode ser de até quatro anos de reclusão e pagamento de multa.

A ação foi coordenada pela Agespisa em parceria com a Polícia Militar de Fronteiras.

Compartilhar no
Por: Da Redação

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário