Novo ensino médio será adotado, de forma gradual, a partir de 2022

Cronograma foi divulgado pelo Ministério da Educação

19/07/2021 17:44h

Compartilhar no

A partir de 2022 as escolasbrasileiras que oferecem o ensino médio deverão implementar, gradativamente, o programa Novo Ensino Médio, que trará mudanças na carga horária e na estrutura curricular das aulas. O cronograma e as ações foram divulgados no último dia 14, no Diário Oficial da União. Dentre as mudanças está a ampliação da carga horária mínima das atuais 800 horas para 1.000 horas anuais.

O programa deve contemplar as aprendizagens essenciais e comuns a todos os estudantes e ofertar diferentes possibilidades de escolha a partir dos itinerários formativos incluindo a formação técnica e profissional de forma a aprofundar conhecimentos e ajudar na inserção no mercado de trabalho.

Conforme o cronograma, a implementação começará no ano que vem, de forma progressiva, com as 1ª séries do Ensino Médio. Em 2023 continuará com as 1ª séries e dará início às 2ª séries e completando o ciclo de implementação nas três séries do ensino médio em 2024.

O investimento no projeto é de mais de R$ 70 milhões nas secretarias de educação para readequação de seus referencias curriculares e para formação dos profissionais de educação, com repasse a mais de quatro mil escolas piloto, totalizando R$ 360 milhões em apoio financeiro, conforme o MEC.

Segundo o Ministério da Educação, um novo Programa de Fomento à Implementação dos Itinerários Formativos será lançado ainda neste ano para dar apoio técnico e financeiro às escolas de ensino médio e a integração entre as instituições de ensino superior, setor produtivo, escolas e secretarias de educação.

Conteúdos e cronograma

Com o Novo Ensino Médio, o estudante poderá escolher em qual área quer aprofundar seus conhecimentos ao longo da formação. O projeto poderá ofertar até cinco itinerários formativos, que podem variar conforme o contexto no qual a escola está inserida e de acordo com as necessidades e interesses dos estudantes. As redes de ensino terão autonomia para definir os itinerários ofertados.

Os itinerários são: linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e sociais aplicadas e formação técnica e profissional.

O cronograma divulgado apresenta as seguintes divisões:

1) No ano de 2021: aprovação e homologação dos referenciais curriculares pelos respectivos Conselhos de Educação e formações continuadas destinadas aos profissionais da educação;

2) No ano de 2022: implementação dos referenciais curriculares no 1º ano do ensino médio;

3) No ano de 2023: implementação dos referenciais curriculares nos 1º e 2º anos do ensino médio;

4) No ano de 2024: implementação dos referenciais curriculares em todos os anos do ensino médio;

5) Nos anos de 2022 a 2024: monitoramento da implementação dos referenciais curriculares e da formação continuada aos profissionais da educação.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Deixe seu comentário