Mais de 20 pit bulls são achados com sinais de maus-tratos em Goiânia

Animais são anunciados para venda de R$ 50 e R$ 100; delegado afirma que caso está na Justiça, e quer que cães sejam adotados antes do julgamento do processo.

29/01/2018 15:26h

Compartilhar no

Mais de 20 pit bulls foram encontrados com ferimentos, pouco alimento e em péssimas condições de higiene, em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, os cães são vítimas de maus-tratos e estavam sendo comercializados a R$ 50 e R$ 100. O dono, segundo a corporação, é um usuário de drogas que já é processado na Justiça por não cuidar dos animais.

O delegado Luziano de Carvalho, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (Dema) afirma que quer que os animais sejam adotados antes do término do julgamento do processo. Segundo ele, na casa mora uma idosa de 70 anos, mãe do proprietário.

“Tem ferimentos nos animais. Eles brigam entre si. O espaço é pequeno, muito sujo. A alimentação também está em falta. É um caso grave. O proprietário é dependente químico, a mãe é cadeirante. Esta pessoa inclusive corre risco de vida”.

A casa fica na Vila Nova, em Goiânia. Os animais foram localizados pela polícia depois de uma denúncia. O caso foi relatado por um vizinho que tem medo de se identificar. Ele afirma que já presenciou os animais sendo agredidos e, em alguns casos, morrerem dentro do local.

“Existem maus-tratos, cães sendo enterrados dentro de casa. Pedimos socorro às autoridades para tirar estes cães daqui o mais rápido possível”, desabafou.

O delegado disse que está tentando uma forma de retirar os animais da residência e que vai comunicar a situação ao juiz antes mesmo do julgamento da ação que o proprietário responde.

“Estou procurando um Assistência Social, a Vigilância Sanitária, para que possamos salvar este animais e, sobretudo, ajudar esta família, encaminhar o dono para um tratamento adequado, retirar esta idosa do risco que está sofrendo”, revelou o delegado ao G1.

O G1 não conseguiu contato com o responsável pelos cães.

Compartilhar no
Fonte: G1

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário