• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia

Após críticas de Bolsonaro, presidente dos Correios deixa a estatal

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou na sexta-feira (14) que demitiria o presidente dos Correios por ele ter se comportado como "sindicalista".

19/06/2019 14:18h

O presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, anunciou em suas redes sociais nesta quarta-feira (19) sua saída da estatal.

"Hoje me afasto dos Correios. Foram 7 meses de alegria, obtivemos excelentes resultados, conduzimos a recuperação da empresa e fizemos grandes amigos. Saldo muito positivo e a certeza que vocês continuarão no cumprimento da missão", disse Cunha em publicação no Twitter.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou na sexta-feira (14) que demitiria o presidente dos Correios   por ele ter se comportado como "sindicalista".

Ao final de um café da manhã com jornalistas, Bolsonaro comentou que exoneraria Juarez por seus gestos durante audiência pública na Câmara. 

Desagradou o presidente o fato de o general ter tirado foto com parlamentares de esquerda e de ter dito que não haverá privatização dos Correios, como é planejado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Nesta terça-feira (18), Bolsonaro afirmou que avaliava novos nomes para substituir o general à frente da estatal e que uma das medidas a serem tocadas pelo escolhido será a privatização da empresa.

“Está nascendo a criança aí”, afirmou Bolsonaro após solenidade de hasteamento da bandeira nacional, na manhã de terça-feira. “Tem alguns nomes aparecendo. Logicamente, o presidente que vai assumir vai cumprir seu papel naturalmente, e o governo deu sinal verde para buscar privatização”, disse o presidente, ressaltando que a decisão de vender a estatal precisa passar pelo Congresso.


Deixe seu comentário