Venda de flores cai até 80% com interdição parcial da avenida Raul Lopes

Por conta do bloqueio de parte da via, os comerciantes dos quiosques e floriculturas estão sofrendo com prejuízos.

15/12/2018 08:22h

Compartilhar no

Desde que uma cratera se abriu na Avenida Raul Lopes, em frente a um shopping de Teresina, cerca de 300 metros da via foram interditados para reparos. A interdição foi necessária devido a forte erosão e rompimento do interceptor (tubulação de esgoto), que fica subterrâneo na avenida. Por conta do bloqueio de parte da rua, os comerciantes dos quiosques e floriculturas estão sofrendo com prejuízos. 

Venda de flores cai até 80% com interdição parcial da avenida Raul Lopes. (Foto: Poliana Oliveira/ODIA)

Segundo a florista Maria de Fátima dos Santos já trabalha no local há sete anos e conta que as vendas caíram consideravelmente desde que o trecho da via foi interditado, na última quinta-feira (06). Para ela, o prejuízo é grande, mas não supera o benefício que o serviço pode trazer à população e a todos que transitam pelo local. 

“Os clientes não estão vindo comprar por conta dessa barreira que foi colocada, nem para fazer encomendas. As vendas caíram bastante, quase 80%. Apesar de não ter vendas, os funcionários precisam vir, afinal, as plantas precisam ser cuidadas. Eu penso que é melhor eles fazerem o serviço e resolver logo do que acontecer o pior e alguém se machucar ou até morrer, então ainda bem que eles detectaram agora. Apesar do prejuízo, é algo que vai ser solucionado não vai mais voltar a acontecer”, pontua. 

Venda de flores cai até 80% com interdição parcial da avenida Raul Lopes. (Foto: Poliana Oliveira/ODIA)

Já a florista Maria do Socorro Alves, que trabalha na profissão há 10 anos, não está muito satisfeita com as obras que estão acontecendo no local. De acordo com ela, as vendas estão sendo muito prejudicadas, principalmente no período de final de ano, quando as vendas tendem a ser melhores. 

“Todo ano abre buraco aqui na avenida, aí eles decidiram trocar tudo, mas deviam ter feito isso aos poucos e não de uma vez, como eles estão fazendo. Estamos interditados e os clientes não conseguem chegar até nós, Nossas vendas praticamente não existe mais e o prejuízo está sendo grande. Todos estão revoltados, porque esse é nosso meio de vida e acontece isso em pleno natal, quando as vendas são um pouco mais intensas. É uma falta de respeito, porque deviam ter feito isso em um turno que não nos prejudicasse”, frisa. 

Enquanto isso, os comerciantes vão se virando como podem. Os que têm encomendas estão tentando dar continuidade aos trabalhos. Já os que não têm, aguardam para que a via seja liberada e, assim, os clientes voltem a procurar o serviço. Ainda de acordo com os floristas, os comerciantes dos quiosques, que costumam abrir apenas no turno da noite, estão completamente fechados. 

Contraponto

Após a abertura da cratera, a empresa Águas de Teresina iniciou os trabalhos destinados a reparar o dano na pista, e durante a empreitada os técnicos observaram que outros pontos em frente ao Riverside estavam vulneráveis e também poderiam ceder.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário