• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Após enxurrada, duas pessoas morrem e 30 ficam feridas na zona Sul

O rompimento de um muro que servia para contenção de uma lagoa na região causou a enxurrada que atingiu o bairro Parque Rodoviário.

05/04/2019 07:55h - Atualizado em 05/04/2019 15:19h

Os moradores do Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina, foram surpreendidos com uma enxurrada na noite desta quinta-feira (04). Até o momento, foram registrados duas mortes, uma senhora de 71 anos, uma criança de dois anos. O Corpo de Bombeiros informou que mais 30 feridos foram contabilizados até o momento e cerca de 40 casas foram atingidas, sendo que 30 chegaram a ser arrastadas pela água.

O coordenador da Defesa Civil Municipal, Sebastião Domingos, explicou que o rompimento do muro de um clube resultou na tragédia. “Aqui na parte superior do bairro existe uma lagoa, que foi captando um grande volume de água, no local tinha um muro que servia de contenção, o que acabou, de certa forma, criando uma especie de represa. Com a queda desse muro, todo o volume contido desceu em forma de enxurrada”, disse. 


Foto: Poliana Oliveira/O Dia

De acordo com Sebastião Domingos, tamanha a força da água, um carro de passeio foi arrastado e jogado no quintal de uma das residências. “A água desceu com tanta violência que arrastou tudo que estava na frente, carros e casas. Inclusive um veículo foi jogado contra o muro de uma residência” conta. 

Vilma de Oliveira, de 57 anos, contou ao O Dia que seu maior medo era a saúde do marido de 87 anos. “Foram os vizinhos que alertaram sobre o que estava acontecendo. Foi tudo muito rápido. Eu ouvi o barulho, mas achava que era trovão. Aí os vizinhos começaram a gritar, “Tire seu Antônio daí”, e ele não queria sair. Os vizinhos vieram aqui pegar ele e a gente saiu”, narra a dona de casa. 



Foto: Poliana Oliveira/O Dia

Para Sean Silva, de 27 anos, que mora com a esposa e dois filhos, a saída foi arriscar pular o muro do quintal para fugir da correnteza. “Quando vi a água entrando me desesperei, gritei minha mulher, pedi pra ela parar tudo que estava fazendo. Só que no nervosismo eu perdi as chaves, a saída foi pular o muro do quintal e ninguém aqui sabe nadar”, conta Sean. 

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, esteve no local ainda durante a noite e conversou com alguns moradores. "É sem dúvidas uma tragédia. Nós investigaremos o que a causou. Nesse momento nos solidarizamos com a dor das famílias. Vamos acompanhá-las e trabalhar para recompor essa comunidade", comenta.  

O Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Municipal e a Polícia Militar  e assistentes sociais estão no local prestando atendimentos as famílias. Os feridos foram encaminhados para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Geici Mello

Deixe seu comentário