• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Ano novo deve chegar com chuva e ventos de até 60Km/h em Teresina

Contudo, a meteorologia prevê chuvas isoladas e levem na capital e em outros municípios piauienses

31/12/2019 12:27h - Atualizado em 31/12/2019 15:57h

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os teresinenses devem iniciar o ano de 2020 com chuvas intensas. A chuva deve variar entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia e os ventos devem ser intensos, entre 40-60Km/h.

Contudo, o climatologista Werton Costa destaca que apesar da possibilidade de chuva, não deve-se esperar que elas sejam tão intensas, vez que a temporada está apenas iniciando e chegando no Centro-Norte.

“Não serão chuvas tão intensas, mas pelo menos vai melhorar a condição térmica. Esperávamos que ontem a chuva que caiu em Teresina fosse mais intensa, mas ela não veio e caiu toda sobre o Estado do Maranhão, como em Pedreiras, que alagou completamente. Na capital choveu 5mm de chuva, um valor muito modesto para o mês de dezembro”, comenta.

Já a chuva que caiu na cidade de Floriano foi bastante significativa, registrando 44 mm, de acordo com dados do Cemaden. Isso fez com que o município fechasse o mês de dezembro com uma média acumulado relativamente boa.

(Foto: Jailson Soares)

Em compensação, Teresina encerra o mês de dezembro com o acumulado bem abaixo do esperado, somando apenas 24 mm em 30 dias.  “Em Teresina tivemos o registro de um vento um pouco mais forte, mas de forma isolada. Porém, em volume, a quantidade de chuva registrado no mês de dezembro terminou em baixa”, frisa Werton Costa.

O climatologista ainda destaca que o mês de dezembro apresentou déficit de praticamente todos os municípios do Estado do Piauí. As estações pluviométricas do Cemaden e as meteorológicas do Inmet demonstraram que ocorreu anomalia negativa e que dezembro foi pouco chuvoso, com chuvas abaixo da média na maior parte dos municípios monitorados.

“Boa parte dessa quebra na expectativa de chuva foi devido à condição térmica do Oceano Atlântico, que sofreu um brusco resfriamento impedindo assim a formação de nuvens, conjugada a atuação de um sistema transiente, o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis. A atuação do Vcan impediu a formação de nuvens na maior parte da região Nordeste impedindo naturalmente a formação das trovoadas no estado do Piauí”, completa o especialista.

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário