• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • Clínica Shirley Holanda
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Teresina já abriga quase 100 venezuelanos refugiados

Comitê municipal está se reunindo semanalmente para traçar estratégias que visam dar suporte a estas pessoas

30/05/2019 11:55h

A quantidade de venezuelanos que tem chegado à Teresina só aumenta. Agora já são 94 refugiados que estão abrigados na Associação dos Pescadores do Poti Velho, na zona Norte da Capital. A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) já havia cadastrado 42 venezuelanos. Na última sexta-feira (24), mais 17 chegaram à Capital. Ontem (29), mais 35 pessoas também vieram para a cidade.

Segundo Tayra Santana, psicóloga e gerente do Creas Norte (Centro de Referência e Assistência Social), foi formado um Comitê, junto com algumas entidades e ONGs, que se reúnem semanalmente para traçar estratégias que visam dar suporte aos venezuelanos. 

“Estamos tentando realizar um cadastro para saber o perfil deles, idade e os fatores que os trouxeram para cá. Assim, poderemos ter uma noção do que vieram fazer em Teresina e do que estão esperando em nossa cidade. A maioria deles não tem documentação, estão em situação irregular. Estamos fazendo encaminhamentos junto ao Ministério Público pra tirar a documentação deles e podermos começar a fazer os encaminhamentos para os benefícios, como Bolsa Família, até porque têm mulheres gestantes e crianças”, comenta.

Tayra Santana ainda cita que os venezuelanos estão em Teresina há cerca de dois anos. Eles teriam passado por estados como Pará e Maranhão, mas, por não conseguirem assistência nessas localidades, migraram para o Piauí e chegaram a Teresina. A gerente do Creas enfatiza que os refugiados saíram da Venezuela por estarem passando por calamidade social e estão em busca de melhores condições de saúde, educação e emprego. 

“Embora a comunicação seja pouca, estamos conseguindo dialogar com eles e entender o que os trouxeram para cá. Eles comentam que em outros estados não tiveram assistência, então estamos fazendo o que podemos, dentro do nosso possível, já que o município dispõe de equipamentos de assistência. Temos nossas limitações, já que eles não estão regularizados, mas o que é possível o município está fazendo”, pontua. 

Crise na Venezuela

A Venezuela está enfrentando uma crise econômica, política e social que já levou 3,7 milhões de venezuelanos a irem para o exterior, a maioria a partir de 2015, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). O governo do ditador Nicolas Maduro se nega a receber ajuda, alegando que seria uma tentativa de intervenção dos Estados Unidos no país. Enquanto isso, os venezuelanos estão sofrendo com a escassez de remédios e equipamentos de saúde há vários anos, além de outros entraves.

Edição: Virgiane Passos
Por: Isabela Lopes - Foto: Jailson Soares/ODIA

Deixe seu comentário