Teresina: enfermeiros fazem ato e reivindicam piso salarial e jornada de 30h semanais

A categoria reivindica o piso salarial, a regulamentação da carga horária semanal de 30 horas e melhores condições de trabalho.

12/05/2021 10:04h - Atualizado em 12/05/2021 12:05h

Compartilhar no

Nesta quarta-feira, 12 de maio, é comemorado o Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro. Em alusão à data, cerca de 200 enfermeiros e demais profissionais da enfermagem estão realizando um ato em protesto contra as atuais condições de trabalho da categoria em Teresina. O percurso iniciou na Assembleia Legislativa do Piauí, localizada na Avenida Marechal Castelo Branco, e será finalizado na Igreja São Benedito, na Avenida Frei Serafim.


Leia também: Covid-19: Wellington Dias publica lei que autoriza compra da vacina Sputnik


Foto: Assis Fernandes/O Dia

A categoria reivindica o piso salarial, a regulamentação da carga horária semanal de 30 horas e melhores condições de trabalho. Sobre o piso salarial, está tramitando no senado o Projeto de Lei n° 2564, de 2020, que prevê a consolidação de um piso salarial nacional para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, além de parteiras da rede pública e privada.

Foto: Assis Fernandes/O Dia

De acordo com o Sindicato dos Enfermeiros Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi), com a carreata, os enfermeiros querem sensibilizar os deputados federais da bancada piauiense para que o projeto seja aprovado. Segundo o sindicato, algumas entidades médicas, especialmente donos de hospitais e clínicas, pediram a retirada do projeto de votação.

Segundo o presidente do Senatepi, Erick Riccely, a manifestação ocorreu em oito municípios do Piauí e mais 16 capitais do Brasil. Para ele, a aprovação do projeto de lei que trata sobre o piso salarial garante uma justiça social aguardada pela categoria há mais de 20 anos.

Foto: Assis Fernanes/O Dia

“A enfermagem está pedindo apenas uma coisa, tratamento isonômico. A medicina tem a sua jornada de 20h, fisioterapia, psicologia, nutrição, serviço social tem a sua jornada de 30h, nós só queremos ser tratados da mesma maneira. Uma profissão iminentemente feminina, em que 70% a 80% são mulheres, que já tem uma tripla jornada, tira um plantão de 7 da manha até 7 da noite, dorme e no outro dia está trabalhando, isso favorece erros e faz com que a população não receba uma assistência de qualidade”, afirma.

Caso seja aprovada, a proposta estabelece um piso salarial nacional de R$ 7,3 mil mensais para enfermeiros, de R$ 5,1 mil para técnicos de enfermagem, e de R$ 3,6 mil para auxiliares de enfermagem e parteiras, valores correspondentes a uma jornada de 30 horas semanais.

Compartilhar no
Edição: Com informações de Raimundo Lima.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário