Sintetro diz que trabalhadores do transporte público estão boicotando a greve em Teresina

Nova assembleia marcada para próxima quarta-feira (10), em dois turnos, vai definir os rumos do movimento grevista na Capital.

08/11/2021 16:15h - Atualizado em 09/11/2021 10:03h

Compartilhar no

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro) convocou, na tarde desta segunda-feira (08), os trabalhadores do setor para uma nova assembleiamarcada em dois turnos na próxima quarta-feira (10) que irá definir os rumos domovimento grevista em Teresina. Segundo o secretário de comunicação da categoria, Miguel Arcanjo, os trabalhadores resolveram boicotar o que determina a Justiça – 70% da frota em horário de pico e 30% no entrepico. Ou seja, eles estariam trabalhando além do acordado. 

“O que se percebe é que parte dos trabalhadores resolveram boicotar a greve. A gente percebe que tem mais ônibus circulando do que foi definido na Justiça (70% horário de pico e 30% no entrepico). Em virtude disso, o Sintetro decidiu convocar novamente a categoria para esta assembleia em dois turnos para definir o rumo da greve”, informou à imprensa.

Foto: Assis Fernandes/ODIA 

Ainda segundo Arcanjo, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) ainda não procurou a categoria para conversar, principalmente no que diz respeito a convenção coletiva de trabalho.  

“Como o Setut não procurou os trabalhadores para conversar, ainda no mês de outubro, o sindicato convocou novamente a categoria onde foi referendado o que foi dito em assembleia. Ou seja, os trabalhadores disseram que fosse feita a greve por tempo indeterminado em virtude do Setut não ter procurado a categoria”, conta.

Uma nova assembleia com os trabalhadores na sede do Sintetro está marcada para próxima quarta-feira (10) em dois turnos (manhã e tarde) para definir a suspensão ou manutenção do movimento grevista. Por meio de liminar, justiça determinou 70% da frota em horário de pico e 30% nos demais horários.

Quase duas semanas de greve

A greve do transporte público de Teresina está prestes a completar duas semanas sem previsão de normalidade. Até esta segunda-feira, os trabalhadores afirmam que não receberam ordem de serviço para colocar os ônibus na rua. Atualmente, 138 circulam pela cidade.

Procurado pela reportagem, o Setut informou que desconhece a informação de que trabalhadores estariam descumprindo a determinação da justiça e reforça que a possibilidade de assinatura da Convenção Coletiva com os trabalhadores deve ser discutida em janeiro de 2022, conforme data base, determinada por lei.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário