Sem água, moradores do Vale Quem Tem precisam recorrer a outros bairros

Na região, as pessoas estão estocando baldes de água para terem segurança que terão o produto

15/05/2017 08:24h

Compartilhar no
Sem água, moradores do Vale Quem Tem precisam recorrer a outros bairros para conseguir o produto. 
Diariamente, os moradores do bairro Vale Quem Tem, na Zona Leste de Teresina sofrem com a falta de água em suas casas. Na região, o problema é constante e os moradores precisam estocar baldes de água para terem segurança que terão o produto para consumo. 

Indignados, eles afirmam que o cenário é um descaso com a população. A moradora Maria do Socorro Sousa conta que o problema no Vale Quem Tem existe no mesmo período de tempo em que ela mora no bairro, há 20 anos. Ela relata que durante todo o dia há oscilação, em que às 8h da manhã falta água e volta ao meio dia; às 14h acaba novamente, voltando somente às 18h; e após as 19h, a água não chega mais as casas, voltando apenas no dia seguinte. 

Moradores estão precisando estocar água em barris para garantir abastecimento (Foto: Arquivo/ O Dia)

Segundo Maria do Socorro, as dificuldades são muitas. Ela relata que já é rotina precisar acordar cedo para realizar os afazeres de casa antes de faltar água. Nos finais de semana e feriados, a situação se agrava e o bairro fica sem água durante o dia todo. A moradora trabalha no ramo alimentício e todos os dias precisa de água para fazer comida, no entanto, se não tiver um reservatório com água guardada, ela fica impedida de trabalhar. 
“Quando tenho algo para ir resolver na rua eu preciso acordar muito cedo e ir logo porque quando chega em casa não tem mais água. A gente paga imposto e se sacrifica para pagar 50 reais por mês e não tem um serviço de qualidade”, lamenta. 
Caminhões de água 
Ela acrescenta que quando falta água por grande período de tempo, precisa recorrer à caminhões que distribuem água ou até mesmo comprar. De acordo com Maria do Socorro Sousa, o problema também já fez os filhos da moradora faltarem aula devido à falta de água para tomar banho. 
Da mesma forma, o morador Francisco das Chagas Assunção alega o constante vai e volta de água em sua residência. Por conta disso, há cerca de um ano e meio o morador, que reside no Vale Quem Tem há 20 anos, decidiu comprar uma caixa d’água de 500 litros para suprir a necessidade de água. Ele também construiu por conta própria um filtro por conta de a água chegar barrenta. 
“O ideal seria que tivesse água direto, que nem o talão que chega todo mês para todos nós. Eu comprei um reservatório porque não aguentava mais essa situação, mesmo sendo pequena, dá para atender porque mora só dois netos e eu”, conta. 
Rosângela Maria de França também mora no bairro e enfrenta dificuldades quando precisa dar banho em seu neto de três anos de idade. Quando há necessidade de algo, a dona de casa precisa se dirigir a outro bairro, Vila Bandeirantes, para conseguir água. “Água chega de manhã e o dia todo fica oscilando. Desde que chegamos aqui nunca teve um dia em que pudemos ter água o dia todo. A gente precisa adaptar nossa rotina, acordar mais cedo por causa disso”, reclama a moradora. 
Por meio de nota, a Agespisa - Águas e Esgotos do Piauí informa que a intermitência no abastecimento da região do Vale Quem Tem, zona leste de Teresina, ocorre devido à topografa elevada. Os moradores recebem água todos os dias, mas não o dia todo. A Agespisa estuda alternativas para reforçar o fornecimento de água na região. A empresa recomenda ainda o uso responsável da água, especialmente nas áreas mais baixas, medida que ajuda a equilibrar o sistema.
Compartilhar no
Por: Letícia Santos

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário