Raiva canina: FMS inicia vacinação de emergência em bairro com caso confirmado

O monitoramento da área durará 60 dias e conta ainda com uma busca ativa e investigação de pessoas e animais que possam também ter sido agredidos.

04/10/2021 14:25h

Compartilhar no

A gerência de Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS) iniciou o protocolo de vacinação de emergência de todos os cães e gatos, em uma área de cinco quilômetros, do local onde um cão foi identificado com raiva canina, na região do bairro Aroeiras, zona Leste.

A vacinação de emergência, que acontece por 10 dias, está sendo realizado nos turnos manhã e tarde, de forma domiciliar. O gerente de Zoonoses da FMS, Paulo Marques, pede a colaboração da população para que receba as equipes. “Em caso de dúvidas, as pessoas podem pedir a identidade do agente, solicitar que ele mostre o frasco da vacina para verificar a data de fabricação e vencimento, e tirar todas as dúvidas. Eles ficarão satisfeitos em dar as informações que a população precisar, evitando assim a disseminação de fake news”, garante o gerente.


Foto: (Ascom/FMS)

O monitoramento da área durará 60 dias e conta ainda com uma busca ativa e investigação de pessoas e animais que possam também ter sido agredidos, além de mobilizações comunitárias de educação em saúde, esclarecendo sobre o perigo da raiva e formas de prevenção e do monitoramento laboratorial do tipo de vírus que foi encontrado.

A ação faz parte do protocolo sanitário que deve ser seguido nestes casos estabelecidos pelo município, Ministério da Saúde e órgãos internacionais de saúde pública. A diretora de Vigilância de Saúde da FMS, Amariles Borba, esclarece que este procedimento deve ser seguido à risca para evitar sanções até mesmo internacionais. “O protocolo sanitário internacional é obrigatório para que o Brasil receba recursos, financiamentos e turistas”, alerta a diretora.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário