Obra para receber quiosques da Avenida Raul Lopes deve iniciar até o fim do ano

Empreendimentos devem sair da frente do Riverside Shopping e ir para embaixo da Ponte Juscelino Kubistchek.

06/10/2017 08:13h

Compartilhar no
A obra de requalificação do espaço embaixo da Ponte Juscelino Kubistchek deve iniciar até o fim do ano. É o que afirma o arquiteto fiscal Vicente Franco, da Secretaria de Estado dos Transportes (Setrans). O local deverá receber os quiosques da Avenida Raul Lopes, na zona Leste de Teresina. 
A nova locação dos empreendedores, hoje abrigados em frente ao Shopping Riverside, foi proposta em junho, na audiência de conciliação entre os proprietários dos quiosques e a Prefeitura Municipal de Teresina, em parceria com o Governo do Estado. Os quiosques devem mudar de lugar por estarem ocupando uma área de preservação ambiental, próximo ao Rio Poti. 

Quiosques estão instalados em área de preservação ambiental, o que é proibido (Foto: Assis Fernandes/ O Dia)

Na ocasião, foi determinado que seria de responsabilidade do Estado entregar a área com algumas intervenções, tais como piso reconstruído, iluminação, entre outras mudanças. Vicente Franco explica que, atualmente, a obra está na fase de orçamento. 
“A gente está trabalhando para providenciar isso o mais rápido possível, está sendo prioridade. Essa terceira praça não estava no nosso planejamento, por isso demorou um pouco. Acredito que, no mais tardar, em um mês a gente já comece a providenciar a regularização desse terreno para construir a nova estrutura para eles. Acho que até o fim do ano a gente possa ter essas obras iniciadas, que será a pavimentação, colocação dos bloquetes e os pontos elétricos”, explica. 
O arquiteto da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam), Júlio Medeiros, é o responsável pelo projeto. Ele conta que estão apenas aguardando o orçamento e a finalização do projeto da Setrans para apresentar a alternativa de mudança aos proprietários. 
“Vai ser feito um investimento e em cima disso vai ser feita uma programação de mudança. A gente quer fazer todo um apoio logístico, a ideia é que lá seja também uma área de eventos, valorizar uma área que é muito boa, mas está abandonada. O próximo passo é a definição de recursos e fazer a obra, que é com o Estado, só depende disso”, enfatiza. 
Empresários 
Claudiney Lima é o proprietário de um dos quiosques localizados na Avenida Raul Lopes e diz que, mesmo alguns empreendedores não concordando com a mudança, ele é a favor, pois acredita que será uma inovação para o negócio. “Seria ótimo, porque teria mais estrutura, daria uma repaginada no nosso negócio. Acho que teria mais movimento, seria um local valorizado. Todo mundo próximo, eu creio que fique até mais seguro”, justifica. Outros proprietários temem que a mudança gere uma queda nas vendas. 
Prejuízos ambientais 
De acordo com o secretário da Semam, Olavo Braz, foram identificadas algumas degradações nas margens do Rio Poti, mas especificamente nas proximidades dos quatro quiosques na Avenida Raul Lopes. Ele explica que não sabe exatamente o motivo da degradação, mas não exclui a possibilidade de ser devido à presença dos quiosques em uma área de preservação do meio ambiente. 
“Permanecer lá não é mais possível, a única área que ainda poderia acolhê-los seria debaixo da ponte. E isso não pode demorar muito não, provavelmente dia 20 teremos outra reunião para ver essa questão de datas. O perigo é eles estarem na contramão da Lei, não se pode construir equipamentos urbanos em área de proteção ambiental, porque prejudica a vida em torno do rio. Ali, no lugar dos quiosques, serão árvores, para alimentar o próprio rio”, argumenta o secretário.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Virgiane Passos
Por: Karoll Oliveira

Deixe seu comentário