• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Morre radiologista baleado por PM no último domingo

Familiares informaram que ainda não tem horário para o velório acontecer, mas que vai iniciar na Funerária Pax União que fica localizada na Miguel Rosa e depois o corpo seguirá em translado para Miguel Alves, cidade natal de Rudson Vieira.

07/12/2019 17:18h

O radiologista Rudson Vieira Batista da Silva de 32 anos, que foi baleado por um PM durante uma festa nobairro Buenos Aires no último domingo (01), faleceu no início da tarde desde sábado após várias paradas cardíacas.

Familiares informaram que ainda não tem horário para o velório acontecer, mas que vai iniciar na Funerária Pax União que fica localizada na Miguel Rosa e depois o corpo seguirá em translado para Miguel Alves, cidade natal de Rudson Vieira.

“Mesmo consternados, os familiares agradecem os pedidos de oração que receberam e roga agora a Deus para que a justiça possa ser feita, pois o policial Max Kellysson Marques Marreiros, lotado nos quadros da Polícia Militar do Piauí e que atirou contra Rudson precisa ser preso”, lamenta parentes.


Morre radiologista baleado por PM no último domingo. Reprodução

Entenda o caso

De acordo com a prima de Rudson, Ravennya Moreira, que conversou com a reportagem do Portal O Dia. O fato ocorreu em uma Casa de Show na Zona Norte de Teresina, após o militar assediar uma das mulheres que estava na mesma que Rudson na festa, que acompanhava o primo dele.

“Ele [o PM] a todo momento ficava tentando botar cerveja na mesa deles, no corpo dela, cercando ela, e o Rudson se levantou para falar com ele. Pediu uma vez para ele parar e ele não parou. Ele foi de novo, e nessa segunda vez, o PM simplesmente sacou a arma e atirou contra o pescoço do Rudson sem dar nenhuma chance de defesa, atirou mesmo à queima roupa”, relata Ravennya.

O policial militar que atirou na vítima foi identificado por Max Kellyson e está lotado no 17º Batalhão de Teresina. Ele foi preso em flagrante, mas acabou sendo solto após passar por audiência de custódia, mesmo o Ministério Público pedindo a conversão de sua prisão em preventiva.

Por: Sandy Swamy e Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário