Morre Dr. Alcenor Almeida, ex diretor geral do Hospital São Marcos

Deixa um legado imensurável na Medicina no Piauí como médico, gestor e ser humano

06/05/2019 13:14h

Compartilhar no

No início da noite deste domingo, 05 de maio de 2019, morreu o médico Alcenor Barbosa de Almeida, aos 93 anos de idade.

O velório acontece desde às 10h, desta segunda-feira, 06 e vai até às 10hs da terça-feira, 07, na Câmara dos Vereadores de Teresina. Na terça, às 9h, ainda na Câmara Municipal acontece a missa de corpo presente; em seguida, o cortejo se dirige para o enterro no Cemitério São José, localizado na Rua Rui Barbosa S/N, em frente ao Instituto de Educação Antonino Freire - Bairro Matinha.

Dr. Alcenor Almeida foi um dos fundadores da Sociedade Piauiense de Combate ao Câncer, atual Associação Piauiense de Combate ao Câncer, entidade que mantém o Hospital São Marcos.

O médico Alcenor Almeida é de uma família de sete irmãos, com origem em Palmeirais, Piauí. Estudou o científico no Liceu Piauiense, em Teresina. E formou-se em Medicina em 1952, pela Faculdade Nacional de Medicina no Rio de Janeiro. 

Por mais de 50 anos trabalhou como cirurgião, fazendo consultas e dirigindo o Hospital São Marcos, que na sua administração, cresceu de um pequeno ambulatório para o centro de saúde com atendimento em todas as especialidades, sendo uma referência no tratamento oncológico, para boa parte das regiões Nordeste e Norte do Brasil. 

Além de médico, Dr. Alcenor foi vereador de Teresina, entre 1988 e 1992. Em 1992, foi candidato a vice-prefeito da capital. Trabalhou como médico no Hospital Getúlio Vargas, no IAPET (Instituto de Assistência e Previdência dos Trabalhadores do Transportes), no IAPC ( Instituto de Aposentadoria dos Comerciários) e no Samdu (Serviço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência).

Em 1965, quando assumiu a direção geral do Hospital São Marcos, construiu 70 leitos, dois pavimentos e um centro cirúrgico com seis salas.  O São Marcos continuou crescendo, o ambulatório foi ampliado de oito consultórios para o que tem hoje: 89. De um só médico foi para dez , e hoje possui 320 médicos e 1909 funcionários. Hoje é um prédio de três andares, com oito blocos, um centro cirúrgico com 10 salas de cirurgia, serviço de hemodinâmica com duas máquinas, três UTIs de dez leitos cada, serviço de quimioterapia com 20 leitos para tratamento ambulatorial, radioterapia com dois aceleradores lineares e um equipamento de braquiterapia. Vale destacar que todo esse serviço de radioterapia é computadorizado. 

Dr. Alcenor Almeida, deixa esposa Claudia Rosa, com quem teve três filhos: Joaquim, Gustavo e Edna, dez netos e dez bisnetos.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário