Moradores do Torquato Neto cobram ação contra falta de infraestrutura

Os moradores querem responsabilização da Caixa Econômica, Prefeitura e construtora pelos problemas de alagamento da região.de

12/05/2021 12:52h

Compartilhar no

Moradores dos residenciais Torquato Neto III e IV, conjuntos habitacionais da zona Sul de Teresina, reuniram-se, nesta quarta-feira (12), em audiência pública virtual com o coordenador-geral do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PI), promotor de justiça Nivaldo Ribeiro, para cobrar ação do órgão voltada a solucionar os problemas de alagamento e falta de infraestrutura na região. A reunião contou com representantes da Caixa Econômica Federal – financiadora do programa Minha Casa, Minha Vida.


Leia também: Ruas do Torquato Neto ficam alagadas após forte chuva em Teresina 


A reunião pautou-se sobre um processo administrativo no âmbito do Procon e em representação ajuizada pelo deputado estadual Franzé Silva (PT) junto ao Ministério Público do Estado (MP-PI), ambas denunciando a situação e cobrando providências. As principais reclamações são relativas ao grave problema de alagamentos anuais nos períodos chuvosos, sobre o que os residentes pedem a construção de galeria, e a falta de infraestrutura geral no local – falta de saneamento, mobilidade urbana, segurança, entre outros.


Foto: O Dia

De acordo com Roriz de Paula, morador do Torquato Neto III, “nós já buscamos, várias vezes, uma posição da Prefeitura, da SDU, mas sem solução. Os alagamentos dificultam que a gente entre ou saia de casa, não só no período chuvoso, mas também no período sem chuvas. Muitos moradores, inclusive, já deixaram de viver aqui. Queremos uma solução urgente”. A moradora Márcia da Conceição, também do Torquato Neto III, a população local sofre uma “situação muito triste, um descaso em todos os sentidos”.

O assessor político do deputado Franzé Silva, Francisco Sales, pontua que acompanha, há muito tempo, o problema e assinala que “é uma situação de calamidade pública a que foram submetidas aquelas famílias. Os órgãos responsáveis por causar aquela situação precisam ser responsabilizados: a construtora, que precisa ser penalizada; a Caixa Econômica Federal, que liberou os recursos de forma irresponsável; e a gestão do município de Teresina, que foi conivente. O Ministério Público deve pedir o ressarcimento e indenizações aos moradores”.

O promotor de justiça Nivaldo Ribeiro pondera que “ali não é lugar para se morar. Sabemos que a chance de se fazer obras de drenagem é muito remota. Todo ano vai chover e nosso temor é a população continuar sendo prejudicada. Portanto, estamos buscando medidas alternativas para solucionar o problema, de modo a não causar mais transtornos aos moradores”. Cerca de 50 moradores participaram da audiência. Representante da Prefeitura (Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Sul – SAAD Sul) também participou.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário